América do Norte | América Latina

Venezuela triplica exportações de petróleo apesar de sanções dos EUA

A Venezuela aumentou as suas exportações de petróleo, embora os EUA continuem a endurecer as sanções contra o país.

Conforme relatado pelo portal norte-americano Bloomberg, numa publicação na terça-feira, “as exportações de petróleo da Venezuela aumentaram para mais de meio milhão de barris por dia em novembro”, três vezes mais do que nos meses anteriores.

Os relatórios de remessas e dados de monitorização de navios compilados pela Bloomberg revelam que quase todas as remessas foram para a China.

A produção de petróleo do país era de 484.000 barris por dia em 25 de novembro, representando uma queda de 48% em comparação com o ano anterior. “Mas mostra que o país, apesar das sanções e das operações paralisadas, ainda pode produzir mais petróleo do que o Equador”, diz o relatório.

A imprensa norte-americana destaca que, enquanto os principais compradores do petróleo da Venezuela deixaram de comprar por causa das sanções americanas, uma série de empresas pouco conhecidas intensificou as compras, desafiando o país norte-americano.

A Bloomberg, citando fontes familiarizadas com o assunto, diz que os navios usaram várias táticas para transportar petróleo da Venezuela para a China, incluindo desligar seus dispositivos de sinalização por satélite e pintar os seus nomes para esconder a sua identidade e evitar a deteção.

EUA impõe sanções a estatal chinesa pelo apoio à Venezuela

O relatório surge depois de Washington ter anunciado na segunda-feira sanções contra a estatal China National Electronics Import and Export Corporation (CEIEC) por seu apoio ao governo venezuelano de Nicolás Maduro.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Venezuela classificou essas sanções norte-americanas de “ilegais” e garantiu que mostram a “incessante obsessão” dos Estados Unidos “em desestabilizar a sociedade venezuelana”. A China, por sua vez, pediu aos Estados Unidos que “retifiquem o seu erro” de ter politizado a cooperação Pequim-Caracas.

A imposição das mencionadas sanções norte-americanas faz parte das tentativas do governo dos Estados Unidos, presidido por Donald Trump, de derrubar o presidente Maduro.

O Governo de Pequim denunciou repetidas vezes os planos de golpe promovidos por Washington contra a nação caribenha e expressou, como agora, o seu apoio à Venezuela diante da ingerência externa nos seus assuntos.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo