Chile: Gabriel Boric e Sebastián Sichel vencedores das primárias presidenciais

Uma nova geração de políticos levantou-se na noite deste domingo, no âmbito das eleições primárias presidenciais no Chile, os mais votados em tempos de democracia: Gabriel Boric (35 anos, pacto político “Eu Aprovo a Dignidade”) e Sebastián Sichel (43 anos, pacto do governante “Chile Vamos”) serão candidatos nas eleições do próximo mês de novembro, de onde sairá o sucessor do presidente Sebastián Piñera.

Apesar do fim de semana prolongado, do inverno frio e de um clima de suposta “apatia”, fatores que não favoreciam a participação eleitoral, a coligação de oposição Eu Aprovo a Dignidade que foi debatida entre o candidato da Frente Ampla, Gabriel Boric, e o candidato do Partido Comunista, Daniel Jadue, conseguiu uma vitória do primeiro, com 1.056.078 votos sobre os 691.613 do seu adversário e favorito nas urnas.

“Estamos felizes com esta vitória conquistada, mas com a consciência de que para vencer em novembro precisamos ser muitos mais. A responsabilidade de mudar o Chile é coletiva. Agradeço ao nosso colega Daniel Jadue, com quem, como dissemos, vamos trabalhar a partir desta noite e com todas as forças do Chile Digno “, referiu o deputado Boric, que recebeu a saudação da presidente da Convenção Constitucional, Elisa Loncón, através da sua conta no Twitter.

O grande vencedor da noite afirmou que “não tenha medo da juventude para mudar este país … Se o Chile foi o berço do neoliberalismo, também será o seu túmulo. Vamos nos preparar para trabalhar sem dúvida e sem pausa para que “Eu aprovo a Dignidade” seja o próximo governo do Chile. Quero ser o presidente com menos poder, quando terminar meu mandato do que quando começar, porque o poder tem que ser distribuído”.

Houve um cataclismo político na coligação governista Chile Vamos: o independente Sebastián Sichel derrotou Joaquín Lavín, um grande favorito para ser o porta-estandarte em novembro.

“Agora o “Chile Vamos” é um só, partidos, independentes, moradores de rua, somos uma coaligação que se prepara para ganhar as eleições presidenciais. Sentimos que o projeto que precisamos para o Chile de justiça e liberdade é o melhor projeto para os chilenos e nós vamos ganhar em novembro, e vamos ganhar em dezembro, porque sabemos que o Chile é parecido com o que sonhamos e queremos e é um projeto melhor para o futuro do Chile ”, enfatizou o “tolo” em a focar a sua política no centro, nunca nas extremidades.

O presidente Sebastián Piñera saudou os vencedores das primárias e destacou a participação dos três milhões de cidadãos que fortaleceram a democracia.

Fernando Peñalver

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Angola: João Lourenço sugere criação de banco de investimentos na CPLP

Angola: João Lourenço sugere criação de banco de investimentos na CPLP

O chefe de Estado de Angola, João Lourenço, assumiu no sábado, 17 de julho, a presidência rotativa da Comunidade de…
Timor-Leste solidário com vítimas de cheias na Alemanha e Bélgica

Timor-Leste solidário com vítimas de cheias na Alemanha e Bélgica

O Governo de Timor-Leste disse estar solidário com as vítimas das inundações ocorridas na passada quinta-feira, 15 de julho, no…
Moçambique: Jovens incendeiam casas e roubam em Cabo Delgado

Moçambique: Jovens incendeiam casas e roubam em Cabo Delgado

A província de Cabo Delgado foi, mais uma vez, alvo de invasão. Desta vez, os invasores eram dez jovens, que,…
Guiné Equatorial recebe advertência de António Costa

Guiné Equatorial recebe advertência de António Costa

O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, deixou um aviso à Guiné Equatorial no sábado, 17 de julho. Segundo o governante,…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin