Chile: Gabriel Boric e Sebastián Sichel vencedores das primárias presidenciais

Uma nova geração de políticos levantou-se na noite deste domingo, no âmbito das eleições primárias presidenciais no Chile, os mais votados em tempos de democracia: Gabriel Boric (35 anos, pacto político “Eu Aprovo a Dignidade”) e Sebastián Sichel (43 anos, pacto do governante “Chile Vamos”) serão candidatos nas eleições do próximo mês de novembro, de onde sairá o sucessor do presidente Sebastián Piñera.

Apesar do fim de semana prolongado, do inverno frio e de um clima de suposta “apatia”, fatores que não favoreciam a participação eleitoral, a coligação de oposição Eu Aprovo a Dignidade que foi debatida entre o candidato da Frente Ampla, Gabriel Boric, e o candidato do Partido Comunista, Daniel Jadue, conseguiu uma vitória do primeiro, com 1.056.078 votos sobre os 691.613 do seu adversário e favorito nas urnas.

“Estamos felizes com esta vitória conquistada, mas com a consciência de que para vencer em novembro precisamos ser muitos mais. A responsabilidade de mudar o Chile é coletiva. Agradeço ao nosso colega Daniel Jadue, com quem, como dissemos, vamos trabalhar a partir desta noite e com todas as forças do Chile Digno “, referiu o deputado Boric, que recebeu a saudação da presidente da Convenção Constitucional, Elisa Loncón, através da sua conta no Twitter.

O grande vencedor da noite afirmou que “não tenha medo da juventude para mudar este país … Se o Chile foi o berço do neoliberalismo, também será o seu túmulo. Vamos nos preparar para trabalhar sem dúvida e sem pausa para que “Eu aprovo a Dignidade” seja o próximo governo do Chile. Quero ser o presidente com menos poder, quando terminar meu mandato do que quando começar, porque o poder tem que ser distribuído”.

Houve um cataclismo político na coligação governista Chile Vamos: o independente Sebastián Sichel derrotou Joaquín Lavín, um grande favorito para ser o porta-estandarte em novembro.

“Agora o “Chile Vamos” é um só, partidos, independentes, moradores de rua, somos uma coaligação que se prepara para ganhar as eleições presidenciais. Sentimos que o projeto que precisamos para o Chile de justiça e liberdade é o melhor projeto para os chilenos e nós vamos ganhar em novembro, e vamos ganhar em dezembro, porque sabemos que o Chile é parecido com o que sonhamos e queremos e é um projeto melhor para o futuro do Chile ”, enfatizou o “tolo” em a focar a sua política no centro, nunca nas extremidades.

O presidente Sebastián Piñera saudou os vencedores das primárias e destacou a participação dos três milhões de cidadãos que fortaleceram a democracia.

Fernando Peñalver

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: IESE diz que Covid-19 não foi principal causa de recessão do país

Moçambique: IESE diz que Covid-19 não foi principal causa de recessão do país

O Instituto de Estudos Sociais e Económicos (IESE) considera que a Covid-19 não foi a principal causa da recessão económica em Moçambique.…
Guiné-Bissau: Presidente exonera Chefe de Estado-maior da armada e vice do Exército

Guiné-Bissau: Presidente exonera Chefe de Estado-maior da armada e vice do Exército

Segundo uma nota do Gabinete de Comunicação da Presidência da República, citando o Decreto Presidencial, “é o Contra Almirante, Carlos…
Timor-Leste: Elaboração do Plano de Urbanização de Díli aprovada

Timor-Leste: Elaboração do Plano de Urbanização de Díli aprovada

O Conselho de Ministros de Timor-Leste aprovou a elaboração do Plano de Urbanização de Díli. O objetivo é melhorar a…
Angola: Governo aprova mais de 15 mil milhões de kwanzas para Agricultura e Pescas

Angola: Governo aprova mais de 15 mil milhões de kwanzas para Agricultura e Pescas

O ministro da Agricultura e Pescas de Angola, António Francisco de Assis, informou que foram aprovados mais de 15 mil…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin