América Latina

Chile: Pré-candidato presidencial comunista evita opor-se à ex-presidente Michelle Bachelet

bandeira do Chile

Alto Comissário do Escritório para os Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) apoiou sua ex-ministra Paula Narváez e, segundo o pré-candidato Daniel Jadue, essa mensagem “envia muitos políticos à reforma”. 

Santiago – O prefeito da Recoleta, Daniel Jadue, um dos mais bem colocados nas pesquisas para a corrida presidencial de novembro de 2021, comentou que, com o apoio da presidente Michelle Bachelet à pré-candidatura de Paula Narváez, está “mandada para a reforma” uma geração completa de políticos chilenos. 

“A ex-presidente é livre para apoiar quem quiser no seu partido (Socialista) e eu admiro-a muito. Mas com esse apoio a Paula Narváez, Bachelet mandou para casa, para a reforma, muitos políticos da antiga concertação, comentou Jadue no programa dominical da Mesa Central. 

“Vou primeiro como candidato à reeleição na Recoleta. Quero dizer a todoque vamos ganhar por uma ampla margem pelo reconhecimento dos vizinhos à gestão”esclareceu o militante do Partido Comunista e arquiteto de profissão. 

Sobre a possibilidade de fazer um pacto com outras forças da oposição, diante da Convenção Constitucional de abril, Jadue foi definitivo: “Não há oportunidade de fazer listas com os partidos que querem apenas maquilhar o modelo neoliberal. Não vamos arriscar-nos com mínimos comuns”. 

O líder político lamentou “a caricatura que alguns estão a tentar fazer do PC chileno (vinculando-os à Coreia do Norte ou à Venezuela), o que já tem esgotado o povo”. 

“O partido de (Jaime) Bellolio (União Democrática Independente) foi o partido que disse que comíamos bebés e que os presos desaparecidos matavam-se entre eles na fronteira”lê-se na carta principal do PC chileno sobre a corrida presidencial. 

Para finalizar, lamentou que o centro Simón Wiesenthal o avaliasse como “um dos dez maiores anti-semitas do mundo”. 

“Lamento que um dos centros de maior prestígio, na perseguição aos criminosos de guerra nazis esteja agora dedicado a esse tipo de campanha mundial de difamação”, comentou o político chileno no programa dominical Mesa Central.

Fernando Peñalver

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo