América Latina

Venezuela: Cabello anunciou detenção do homem que alegadamente atacou Juan Guaidó em Lara

O vice-presidente do Partido Socialista Unido da Venezuela (Psuv), Diosdado Cabello, anunciou na quarta-feira, que foi presa a pessoa que apontou uma arma de fogo contra o presidente da Assembleia Nacional e líder da oposição, Juan Guaidó, durante a marcha de 29 de fevereiro em Barquisimeto.

As informações foram transmitidas na televisão que mostrou um vídeo do homem, identificado como Climaco Edric Medina, também conhecido como “El Caracas”, visto sob custódia do Serviço Nacional de Inteligência Bolivariano (Sebin).

Na gravação, o sujeito alegou ter sido contatado por um motard chamado “Chicho”, que o contratou para a visita do líder da oposição.

No vídeo, Medina também revelou que recebeu 200 dólares para intimidar os manifestantes e apontar um revólver a Guaido. Uma vez concluído o trabalho, receberia mais 200 doláres.

O presidente da Assembleia Nacional Constituinte (ANC) reiterou que o que aconteceu em Barquisimeto foi um “falso positivo” orquestrado pela própria oposição, antecipando que uma ação semelhante “já está a ser preparada para a marcha marcada para 10 de março” em direção ao Palácio Legislativo Federal.

Cabello apontou o jornalista Edward Rodriguez, chefe de imprensa de Guaidó, como sendo o suposto responsável pelo que chamou de “montagem“.

“Dizem por aí que o ‘Cabezón’ (como ele se referiu a Rodríguez) está a encenar outro teatro para o próximo 10 de março de 2020. Aviso às agências de segurança, pendentes. Não digam que eu não disse (…) Podem dizer o que quiserem de mim, mas vou defender este país contra qualquer pessoa e me importo com o que dizem“, disse Cabello.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo