América Latina | Ásia

Venezuela e China fortalecerão acordo de transferência de tecnologia militar

A Venezuela fortalecerá um acordo de transferência de tecnologia militar com a China, com o objetivo de garantir a manutenção de equipamentos pertencentes às Forças Armadas Nacionais Bolivarianas (Fanb), anunciou o primeiro vice-presidente do Partido Socialista Unido da Venezuela (Psuv), Diosdado Cabello, durante uma visita oficial ao país asiático.

Cabello, presidente da Assembleia Nacional Constituinte, indicou que essa cooperação garantirá a defesa do território venezuelano, dada a reivindicação de intervenção armada de potências estrangeiras.

“Aqueles que nos atacam e que acreditam que seria muito fácil entrar na Venezuela e varrer com o nosso povo terão uma grande surpresa, porque uma das razões da nossa visita à China é verificar que esses acordos selam a possibilidade de melhorar nossas armas”, declarou num programa da Rádio Nacional da Venezuela.

Noutras declarações, divulgadas em vídeo, Cabello disse que outro objetivo da sua visita à China é fortalecer os laços com o país para a formação de quadros políticos. A esse respeito, o vice-presidente referiu-se às reuniões realizadas com as autoridades da Escola do Comité Central do Partido Comunista da China e da Academia de Governação para a avaliação de um acordo de cooperação para a formação de jovens venezuelanos.

Cabello explicou que as reuniões expressavam o interesse do governo bolivariano para que “instrutores, académicos e profissionais possam-nos ajudar a dar forma e sentido a um grande plano que vá mais além do imediato, mas também a longo prazo para que a Venezuela seja um exemplo, não apenas politicamente, mas também economicamente em todo o continente americano”.

O primeiro vice-presidente do Psuv destacou ainda o progresso da revolução chinesa “que continua com o seu plano de atenção ao povo e que foram capazes de tirar  800 milhões de pessoas da pobreza”.

Essa visita, segundo Cabello, procura “fortalecer os laços e contribuir para o fato de que na Venezuela podemos ter um modelo alternativo ao modelo capitalista”.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo