América Latina | Segurança

Venezuela: Forças Armadas e Servicos de Segurança recebem 5 dólares de subsídio de Natal

Polícias e militares receberam menos de 5 dólares de subsídio de Natal. Parece anedota? Não é. É a realidade a que o regime de Maduro sujeita os principais pilares da segurança da Nação. Contatos da Global referem que os muito baixos salários e o pagamento este mês dos aguinaldos de 2020 (subsídio de natal) às Polícias Nacional e Municipais, à DGCIM e ao SEBIN, fazem aumentar a preocupação dos comandantes, que assumem incapacidade para reagir a eventuais ou prováveis cenários de insubordinação.

No atual cenário, de quase total destruição dos pilares de um país como a saúde, a economia, os serviços básicos e a indústria, soube-se ontem que os operacionais das Polícias e dos Serviços de Inteligência, militar e civil, receberam os seus aguinaldos para 2020, e que estes não chegaram a 5 dólares, quando convertidos nesta moeda, que informalmente domina o sistema financeiro do país. Mais um vez! É anedota? Não, é quase o preço de uma caixa de ovos quando comprada num setor mais popular, onde pode custar acima dos 3 dólares.

Os contatos da Global referem que temos de pensar de maneira muito particular na situação dentro das Forças Armadas e de Segurança, que são o garante da dos cidadãos e da ordem pública. A total degradação económica e social do país conduziu a uma perversão dos valores que se reflete na impreparacao deste tipo de Forças e nas práticas abusivas dos direitos liberdades e garantias.

Longe vai o tempo em que o cidadão comentava, num misto de indignação jocosa, que um polícia lhe tinha dito “dame pal fresco” ou “dá-me algo para tomar um refresco”, em castelhano calão. Atualmente, o comportamento dos polícias gera na população muito mais que indignação, gera sobretudo medo. E com razão pois os indicadores de vários observatórios, referem que no total dos crimes violentos ou muito violentos se integram as agressões e a corrupção policial.

Mas os polícias e os militares também são venezuelanos. Venezuelanos desesperados para providenciar comida as famílias que, por força da decadência do sistema, foram transformados nos defensores e garante de um regime ditatorial, que mata a fome aqueles que o sustentam.

Que farão estes servidores involuntários das causas de Maduro?

Sendo os detentores do privilégio do uso da força como poderão garantir a segurança do povo, quando foram uma vez mais humilhados?

Como conseguirão os seus superiores conter o descontentamento e a semente da revolta nas instituições da defesa da Pátria?

São estas as perguntas que fazem os superiores destes homens, as quais Maduro não consegue e não pode responder, a não ser com a brutalidade e a violência de um regime que tritura os seus leais servidores.

 

Pedro Maia Gonçalves

© e-Global Notícias em Português
1 Comentário

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo