América do Norte | América Latina

Venezuela: Maduro espera retomar um diálogo “decente” com os EUA após a vitória de Biden

O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, declarou no domingo que trabalhará para retomar o diálogo político “decente e sincero” com os EUA, país com o qual o seu governo mantém relações tensas, assim que Joe Biden assumir a presidência em janeiro.

“Com o tempo trabalharemos, com sorte, para retomar canais decentes, sinceros e diretos de diálogo entre o futuro governo de Joe Biden” e a Venezuela, disse o líder num discurso transmitido pela televisão.

O líder da oposição, Juan Guaido, que se autoproclamou líder interino do país latino-americano, também felicitou o presidente eleito dos Estados Unidos.

Alvo de sanções dos EUA com o objetivo de afastá-lo do poder, Maduro rompeu relações diplomáticas com Washington em janeiro de 2019, depois de o governo do presidente Donald Trump, juntamente com cerca de 50 países, ter reconhecido Guaidó como presidente da Venezuela.

“Donald Trump deixou um campo minado entre o governo dos Estados Unidos e da Venezuela, ele deixou um pântano. Eu sei, nós sabemos”, disse Maduro, acrescentando que esperava que o governo de Biden acabasse com o “intervencionismo” dos EUA na América Latina.

Os EUA impuseram sanções financeiras à Venezuela, incluindo um embargo do petróleo que está em vigor desde abril de 2019.

O governo de Donald Trump também acusou Maduro de tráfico de drogas e ofereceu uma recompensa de 15 milhões de dólares por informações que o incriminassem.

Apesar da pressão, Maduro permanece no poder, apoiado pelos militares venezuelanos e também pelos principais aliados Cuba, Rússia, China, Turquia e Irão.

Biden deverá substituir Trump e tornar-se oficialmente o 46º presidente dos EUA em 20 de janeiro de 2021.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo