América Latina | Economia

Venezuela: Novo plano económico de Maduro entra em vigor

O novo plano económico do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, entra esta segunda-feira em vigor com o objetivo de tentar conter a inflação prevista para 1.000.000% neste ano no país. A principal mudança do chamado “Madurazo” será o corte de cinco zeros da moeda local, que passa a se chamar bolívar soberano.

O bolívar soberano terá 8 notas diferentes e duas moedas metálicas. A maior nota será de 500 bolívares (cerca de 7 dólares no mercado negro). A nota de maior valor do sistema que começa a sair de circulação é a de 100 mil bolívares, sendo que um café custa mais de 2 milhões de bolívares, segundo a Deutsche Welle.

A reforma irá vincular o bolívar à criptomoeda ‘petro’, recém-lançada pelo Estado. Segundo os especialistas em criptomoedas, o petro sofre de falta de credibilidade devido à falta de confiança no governo Maduro e à má gestão da atual moeda nacional do país.

Do plano económico também consta a subida do salário mínimo em 34 vezes. O valor passará de 5.196.000 bolívares (20,8 dólares no câmbio oficial ou 1,3 dólares no câmbio paralelo) para 180.000.000 bolívares (728 dólares ou 45,5dólares). Os valores, segundo o presidente, serão pagos já em bolívar soberano.

Outra medida anunciada por Maduro foi o fim de subsídios que fazem do preço da gasolina o mais baixo do mundo.

A crise na Venezuela também preocupa os países vizinhos, que enfrentam uma crise humanitária na região uma vez que não têm estrutura para acolher os milhares de venezuelanos que fogem da hiperinflação.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo