Afeganistão: Cruz Vermelha alerta que povo sofre com sanções económicas

O diretor de operações do Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV), Dominik Stillhart, afirmou que as sanções económicas impostas ao Afeganistão estão a causar muito sofrimento ao povo afegão, segundo a “AFP”. 

“Estou furioso”, disse através de um comunicado, escrito depois de uma visita de seis dias ao Afeganistão. “As imagens […] de crianças abatidas provocam, com razão, gritos de horror”, partilhou. 

Stillhart considera a situação “ultrajante porque todo esse sofrimento é causado pelo homem”

A Organização das Nações Unidas (ONU) informou recentemente que 22 milhões de afegãos, o que representa mais da metade da população, vão sofrer uma grave escassez de alimentos no inverno, devido à seca e à crise económica que se seguiu à subida dos talibãs ao poder, a 15 de agosto. 

Recorde-se que as instituições financeiras internacionais cortaram a ajuda depois de os talibãs terem tomado posse. Os Estados Unidos da América congelaram cerca de 9,5 bilhões de dólares em ativos do Banco Central afegão. 

No entanto, Stillhart realça que as sanções “destinadas a punir os que estão no poder em Cabul impedem efetivamente que milhões de pessoas em todo o Afeganistão tenham acesso aos produtos básicos de que precisam para sobreviver”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin