Afeganistão: Human Rights Watch denuncia maus-tratos a mulheres

A Human Rights Watch denunciou que três mulheres afegãs que se manifestaram em protesto pela falta de direitos foram torturadas, detidas ilegalmente e ameaçadas pelas autoridades talibãs em Cabul. 

Segundo a organização de defesa de direitos humanos com sede nos Estados Unidos da América, as detenções arbitrárias e os abusos relatados pelas mulheres afegãs são apenas um exemplo da repressão dos fundamentalistas islâmicos que controlam o poder no Afeganistão desde agosto de 2021. 

É também referido que as vítimas estiveram presas na sede do Ministério do Interior do Afeganistão, em condições degradantes. Uma das mulheres detidas relatou que a cela em que esteve presa não tinha ventilação e que no local chegaram a estar 20 afegãs e sete crianças, que passaram vários dias sem alimentação e quase sem água. 

“Havia uma janela pequena, mas não a podíamos abrir. Não havia ar condicionado (…) era como se não houvesse oxigénio na cela. As crianças não eram capazes de dormir”, afirmou uma das testemunhas à organização, citada pela “Lusa”. 

A condição para serem libertadas, imposta pelos talibãs, foi a de confiscarem aos familiares das manifestantes os títulos de propriedade dos locais onde residem, na capital do país. 

Ainda de acordo com a Human Rights Watch, estas três mulheres conseguiram fugir do Afeganistão depois de terem sido libertadas e “estão a tratar chegar a um país que lhes garanta segurança”.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Guiné Equatorial: Vice-presidente acusa Espanha de "humilhar" o país

Guiné Equatorial: Vice-presidente acusa Espanha de "humilhar" o país

O vice-presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Nguema Obiang, acusa a Espanha de “humilhar” e “desacreditar” o país depois de a…
Moçambique: Operação "Vulcão IV" decorre no distrito de Macomia

Moçambique: Operação "Vulcão IV" decorre no distrito de Macomia

As Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM) informaram nesta terça-feira, 03 de janeiro, que está em curso a Operação…
Timor-Leste: Taxa de execução do OGE 2022 foi de 78,75%

Timor-Leste: Taxa de execução do OGE 2022 foi de 78,75%

O Governo de Timor-Leste executou em 2022 cerca de 78,75% do valor total do Orçamento Geral do Estado (OGE) desse…
Moçambique: Atraso de salários gera greve no município de Nacala

Moçambique: Atraso de salários gera greve no município de Nacala

Mais de setecentos funcionários e agentes do Estado afetos ao Conselho autárquico de Nacala, na província de Nampula, encontram-se em…