Afeganistão: Mais de metade da população vai passar fome no inverno

Organização das Nações Unidas (ONU) alertou publicamente para a crise humanitária no Afeganistão, que irá agravar com a chegada do inverno. Nessa altura do ano a ONU estima que cerca de 23 milhões de afegãos, número que representa mais de metade da população, vai passar fome. 

De acordo com a mesma fonte, a crise alimentar no Afeganistão já é mais grave do que a vivida na Síria ou no Iémen. Este alerta já tinha sido dado pela Cruz Vermelha Internacional, que apelou à comunidade internacional para trabalhar com os Emirados Islâmicos. 

Em relação ao tema em questão, o ministro afegão da Agricultura, Abdul Rahman Rashid, declarou que “a pobreza e a fome têm muitas causas. Uma é a Covid-19, que está a afetar o mundo inteiro. A segunda é a seca no Afeganistão e na região. A terceira razão é a cessação da ajuda global ao Afeganistão e o congelamento do capital e do dinheiro do Afeganistão nos bancos internacionais”

Muitas organizações humanitárias têm auxiliado a população, de maneira a reduzir o impacto do problema. Num campo de refugiados, o Crescente Vermelho ajuda mais de 500 famílias internamente deslocadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin