Afeganistão: Mulheres atacadas com gás pimenta durante protesto

As mulheres afegãs decidiram juntar-se em protesto neste domingo, 16 de janeiro, em Cabul. O objetivo era exigir o direito ao trabalho e à educação, segundo informaram três manifestantes à “AFP”. 

O sexo feminino é aquele que mais tem sofrido desde o regresso do regime talibã ao poder, a 15 de agosto do ano passado. Os talibãs têm colocado restrições aos poucos

Para mostrarem o seu descontentamento, cerca de 20 mulheres reuniram-se em frente à Universidade de Cabul. Houve gritos de “Igualdade e justiça!” e cartazes com frases como “Direitos das mulheres, direitos humanos”

No entanto, a manifestação foi interrompida na altura em que os talibãs chegaram e usaram gás pimenta contra as protestantes para dispersar o grupo. Recorde-se que o grupo islâmico proibiu as manifestações não autorizadas e que o mesmo dispersa à força, com frequência, os actos pelos direitos das mulheres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

As autoridades russas detiveram mais de 1.800 manifestantes que se opuseram à invasão à Ucrânia.  “Nós estamos preocupados com as…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin