Afeganistão: Mulheres criticam “silêncio” da comunidade internacional

Cerca de uma dezena de mulheres afegãs protestaram nesta terça-feira, 26 de outubro, em Cabul, contra o “silêncio” da comunidade internacional em relação ao que se está a passar no Afeganistão, segundo a “Lusa”. 

Recorde-se que os talibãs ocuparam o poder no país a 15 de agosto, depois de Biden ter decidido que as tropas norte-americanas iriam retirar-se do Afeganistão. O regime talibã é também conhecido por limitar as liberdades do sexo feminino, que pode ser castigado se não seguir as crenças deste grupo

A manifestação teve como objetivo denunciar a passividade do estrangeiro sobre a situação social, política e económica deste país asiático, que está a viver uma crise profunda em vários setores. 

As participantes do protesto apresentaram-se como membros do “movimento espontâneo das mulheres ativistas do Afeganistão”. Em alguns dos cartazes podia ler-se “Direito à Educação”“Direito ao Trabalho” e “Porque razão o mundo nos deixa morrer em silêncio?”. 

O regime talibã impediu a cobertura jornalística do evento. Este grupo no poder reprime manifestações, tendo os guardas locais mandado dispersar os manifestantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin