Afeganistão recebe 539 milhões de euros arrecadados pela ONU

A Organização das Nações Unidas (ONU) apelou há dois meses para que os países ajudassem financeiramente o Afeganistão, que está a atravessar uma grave crise económica. Sabe-se agora que esse pedido angariou cerca de 539 milhões de euros. 

O anúncio feito pela organização internacional nesta terça-feira, 23 de novembro, refere que foi “financiado a 100%” o apelo lançado para recolher 540 milhões de euros até ao final de 2021. O objetivo é atenuar os efeitos da crise humanitária no Afeganistão

Os principais doadores são os Estados Unidos da América, os países europeus e o Japão, de acordo com o porta-voz do Gabinete para a Coordenação dos Assuntos Humanitários da ONU, Jens Laerke. 

Entre os dias 01 de setembro e 15 de novembro, a ONU e as organizações não-governamentais forneceram ajuda alimentar a 7,2 milhões de pessoas, além de terem sido prestados “cuidados médicos a cerca de 900 mil pessoas”, segundo Laerke. Terão sido 178 mil as crianças, com menos de cinco anos de idade, que receberam ajuda humanitária. 

No entanto, o porta-voz realçou que “a maior parte da população ainda precisa de ajuda humanitária de urgência”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Brasil: Previsão de instituições financeiras anuncia quadro desanimador, para economia brasileira

Brasil: Previsão de instituições financeiras anuncia quadro desanimador, para economia brasileira

O Brasil deverá ter o pior desempenho entre os países emergentes, comíndices muito abaixo da média da economia mundial. O anúncio foifeito pelo jornal O Estado de S. Paulo, depois de consultar cincograndes bancos e consultorias, que aponta para um cenário desanimadorda economia brasileira em 2022.De acordo com o estudo, o Brasil deverá ter o pior desempenho entre ospaíses emergentes. As previsões foram feitas pelo Bradesco, GoldmanSachs, Capital Economics, Fitch e Nomura. Informam para um crescimentodo Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro entre 0,8% e 1,9%. Já o FundoMonetário Internacional (FMI) faz uma previsão de avanço de 1,5%contra uma média de 5,1% dos emergentes.Embora pouco promissoras, essas previsões são até otimistas ante amédia das expectativas das instituições financeiras do país, queapontam para um crescimento de 0,93%, segundo dados do Banco Central.O país já sofria com os efeitos da pandemia. O quadro, segundo osanalistas, se potencializou pela alta dos juros frente à inflação epelo risco de desvio no teto de gastos, com a PEC dos Precatórios e oaumento no valor do Auxílio Brasil.Carlos Vasconcelos – Correspondente
Angola: João Lourenço exonera governador do Cuando-Cubango

Angola: João Lourenço exonera governador do Cuando-Cubango

O chefe de Estado angolano, João Lourenço, exonerou nesta terça-feira, 23 de novembro, o governador da província do Cuando-Cubango, Júlio Bessa.  A…
Revista de Imprensa Lusófona de 24 de novembro de 2021

Revista de Imprensa Lusófona de 24 de novembro de 2021

“Função pública: ‘O país vai passar momentos piores se o OGE 2022 for aprovado pelos deputados’, diz o porta voz da…
Portugal e Moçambique reforçam cooperação com 80 milhões de euros

Portugal e Moçambique reforçam cooperação com 80 milhões de euros

O secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação de Portugal, Francisco André, e o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin