Afeganistão retirou a sua participação no debate geral da ONU

O governo talibã do Afeganistão queixou-se recentemente de não lhe ter sido dada a possibilidade de falar com os líderes na 76.ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas

No entanto, foi noticiado nesta segunda-feira, 27 de setembro, que foi o embaixador do Afeganistão nas Nações Unidas quem terá retirado o país da lista de oradores previstos para o evento, que terminou em Nova Iorque também nesta segunda-feira, dia em que estava previsto que o representante do Afeganistão falasse. 

Ghulam Isaczai foi designado para o lugar pelo Executivo do presidente Ashraf Ghani, deposto pelos talibãs em agosto. Segundo uma fonte anónima citada pela France Press (AFP), “não poderá ter sido senão a missão [afegã] a retirar o seu nome” da lista. 

“Esse país retirou a sua participação no debate geral”, concluiu a porta-voz do presidente da Assembleia Geral da ONU, Monica Grayley. 

O silêncio decretado pelo Afeganistão nesta sessão mundial ocorre a menos de uma semana de ter sido conhecido um pedido dos talibãs, que consistia em terem um representante a discursar perante os membros da ONU. Recorde-se que o novo governo do país tem um Executivo que ainda não foi reconhecido internacionalmente. 

Outra fonte anónima citada pela AFP informou que o pedido dos talibãs terá sido feito, alegadamente, demasiado tarde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin