Afeganistão: Talibãs recebem apoio do povo hazara

São mais de mil os afegãos da comunidade hazara que apoiam o novo governo talibã do autoproclamado Emirado Islâmico no Afeganistão. O apoio foi manifestado nesta quinta-feira, 25 de novembro, de acordo com a “Lusa”. 

Os membros da comunidade hazara, que se trata de uma minoria xiita, referiram-se ao “fim do período de sombras” dos anteriores governos apoiados pelo Ocidente. Esta comunidade tem sido vítima de perseguições, durante séculos, por parte de radicais sunitas, como os talibãs ou os ‘jihadistas’ do Estado Islâmico

Trata-se da primeira vez no Afeganistão que vários representantes da comunidade hazara se reuniram em Cabul, capital afegã, com os dirigentes talibãs para demonstrarem “solidariedade” ao regime no poder desde 15 de agosto deste ano.  

Parte desta minoria xiita, composta por cerca de 38 milhões de afegãos (o que representa entre 10% a 20% da população), considera que os talibãs conseguiram colocar um fim à guerra, à insegurança e à corrupção no país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin