Carregamentos de GNL são desviados da Ásia para a Europa à medida que os preços do gás disparam

Pelo menos dez carregamentos de gás natural liquefeito (GNL) foram recentemente desviados da Ásia para o oeste, atraídos pelos preços recordes da Europa, referem fontes da indústria.

O preço do gás bateu novo recorde durante o dia de ontem, face ao aumento da procura e dos receios de uma invasão da Rússia à Ucrânia. Desde o início de dezembro, os preços do gás na Europa subiram cerca de 40%. 

Em Portugal, o Secretário de Estado Adjunto e da Economia disse na semana passada que apesar de ser difícil o governo intervir no mercado do gás, serão tomadas medidas “específicas e dirigidas” para compensar aumento dos preços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin