FMI avisa sobre impacto mundial com colapso do Afeganistão

O Fundo Monetário Internacional (FMI) lançou um novo alerta ao mundo. Segundo esta organização, os graves problemas económicos do Afeganistão podem “alimentar uma crise de refugiados com impacto nos países vizinhos, na Turquia e na Europa”

Prevê-se que o Afeganistão veja a sua economia contrair 30% este ano, o que levará milhões de pessoas à pobreza. A chegada do regime talibã ao poder a 15 de agosto não ajudou a situação. 

Entre os problemas que agravam a economia do país constam a escassez de dinheiro, dependência da ajuda, ativos estrangeiros congelados, moeda em desvalorização e inflação galopante. Tal leva a uma crise humanitária

Segundo o FMI, “um grande afluxo de refugiados poderia sobrecarregar os recursos públicos nos países de acolhimento, alimentar as pressões do mercado de trabalho, e conduzir a tensões sociais”

O Tajiquistão já avisou que não consegue acolher mais pessoas. De acordo com a organização internacional, para que este país conseguisse receber um milhão de refugiados, por exemplo, necessitaria de de cerca de 85 milhões de euros. Já o Irão e o Paquistão, também países vizinhos do Afeganistão, precisariam de 260 milhões de euros e de 430 milhões de euros, respetivamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Cabo Verde: Correia e Silva quer Economia Digital a valer 25% do PIB

Cabo Verde: Correia e Silva quer Economia Digital a valer 25% do PIB

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, tem como meta fazer com que a Economia Digital contribua com 25% do Produto Interno Bruto (PIB). Este objetivo…
Grécia quer cooperar com Angola na Segurança Marítima

Grécia quer cooperar com Angola na Segurança Marítima

A Grécia manifestou a Angola o seu desejo de estabelecer cooperação nos domínios da Segurança Marítima, Comércio, Turismo, Indústria, Agricultura e Inovação. Essa…
Moçambique: INGD alerta para risco de inundações e cheias

Moçambique: INGD alerta para risco de inundações e cheias

A presidente do Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres (INGD) Luísa Meque, apelou às comunidades que residem nas…
Timor-Leste: Diáspora na Coreia do Sul enviou mais de USD 30 milhões

Timor-Leste: Diáspora na Coreia do Sul enviou mais de USD 30 milhões

Os trabalhadores timorenses na Coreia do Sul já enviaram para Timor-Leste, de 2009 a 2021, cerca de 39 milhões de dólares…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin