Índia: Confrontos com separatistas de Caxemira causam cinco mortos

Um segundo soldado foi morto num tiroteio entre militantes separatistas, soldados e polícia na Caxemira indiana, elevando para cinco o número total de mortos nos confrontos durante o dia de ontem.

Os atacantes, em número de três ou quatro, emboscaram um comboio paramilitar na periferia da principal cidade da região de Srinagar, matando dois soldados e ferindo outros 13, segundo informações oficiais.

Os militares, que estão a lutar contra o domínio indiano sobre a região disputada do Himalaia, fugiram, em seguida, para um prédio do governo nas proximidades e forçaram mais de 120 estagiários e funcionários a sair.

O tiroteio começou após a Força Policial de Reserva Central e soldados cercarem o instituto de treino durante a noite, com os militares ainda escondidos dentro.

O porta-voz do Exército indiano N.N. Joshi disse à AFP que um soldado morreu no tiroteio, horas depois de um capitão do exército, também ser baleado e morto.

A polícia disse que um jardineiro civil que ficou ferido durante o tiroteio também morreu. Testemunhas disseram que os militares, fortemente armados, disseram aos estagiários e funcionários do Instituto de Empreendedorismo e Desenvolvimento, gerido pelo governo, para saírem e se “salvarem”.

Com a continuação do tiroteio, centenas de moradores saíram para as ruas numa demonstração de apoio para os rebeldes, atirando pedras contra as forças governamentais que dispararam gás lacrimogéneo para dispersá-los, disse o porta-voz da Força Policial de Reserva Central, Bhavesh Chaudhary.

Um oficial da polícia disse que pelo menos três manifestantes ficaram feridos por bombas de gás lacrimogéneo. A polícia ordenou aos moradores para ficarem longe dos confrontos, depois de dois estudantes serem mortos durante protestos semelhantes no vale sul de Caxemira.

Desde 1989 vários grupos rebeldes têm lutado contra as forças indianas implantadas na região de Caxemira, para independência ou uma fusão do território com o vizinho Paquistão. A luta matou dezenas de milhares de pessoas, a maioria civis.

Caxemira foi dividida entre rivais, Índia e Paquistão, desde que conquistaram a independência da Grã-Bretanha em 1947. Ambos reivindicam o território do Himalaia na íntegra.

A violência no território tem diminuído durante a última década, mas os confrontos armados entre rebeldes e forças do governo ocorrem regularmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Revista de Imprensa Lusófona de 27 de janeiro de 2022

Revista de Imprensa Lusófona de 27 de janeiro de 2022

A “Inforpress”, agência de notícias de Cabo Verde, publica “Parlamento: PAICV acusa Governo de aumentar os impostos de ‘forma sorrateira…
Brasil: Bolsonaro anuncia regulação dos projetos de energia éolica em regiões marítimas e em águas abrigadas

Brasil: Bolsonaro anuncia regulação dos projetos de energia éolica em regiões marítimas e em águas abrigadas

O presidente Jair Bolsonaro anunciou terça-feira (24/1) o decreto que regula o empreendimento para geração de energia elétrica por meio…
Brasil: FMI anuncia previsão negativa para o crescimento do Brasil em 2022, apenas 0,3%

Brasil: FMI anuncia previsão negativa para o crescimento do Brasil em 2022, apenas 0,3%

O Fundo Monetário Internacional (FMI) derrubou as suas previsões de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2022…
Moçambique: PM observa impacto da depressão tropical Ana em Nampula

Moçambique: PM observa impacto da depressão tropical Ana em Nampula

O primeiro-ministro moçambicano, Carlos Agostinho do Rosário, inicia nesta quarta-feira, 26 de janeiro, uma visita de trabalho à província de…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin