Indonésia: Cancelado evento muçulmano devido ao COVID-19

Uma concentração de peregrinos muçulmanos que atrai milhares de pessoas para a Indonésia foi cancelado devido à possibilidade de que o evento pudesse ajudar a espalhar o novo coronavírus, anunciou uma autoridade indonésia.

No entanto, em outras partes da Indonésia, foi realizada uma cerimónia cristã com mais de 1.000 pessoas, apesar do aviso oficial para se evitar grandes reuniões religiosas.

O país de maioria muçulmana mais populoso do mundo registou menos de 300 casos de coronavírus, mas há suspeitas de que muitos não foram detectados e os funcionários da saúde acusaram o governo de dar uma resposta “tímida” à pandemia.

Durante dias, as autoridades tentaram convencer Ijtima Asia, parte do movimento mundial de muçulmanos evangélicos Tablighi Jama’at, a cancelar o evento em Gowa, perto da cidade de Makassar, na província de Sulawesi do Sul, depois de um evento semelhante na Malásia levado a centenas de contaminações pelo coronavírus.

Alhamdulillah (louvado seja Deus), Ijtima finalmente concordou em adiar / cancelar”, publicou nas redes sociais o chefe da regência de Gowa, Adnan Purichta Ichsan.

Os peregrinos que já se encontram no local estão isolados enquanto tomavam providências para deixar Gowa, acrescentou. Mais de 8.500 pessoas de toda a Indonésia, Ásia e Oriente Médio convergiram para a região.

Depois de resistir ao cancelamento do evento e declarar desafiadoramente “temos mais medo de Deus” do que do coronavírus, o organizador Mustari Bahranuddin disse na quarta-feira que seguiria a diretiva para cancelar a concentração de oração, avisando que seria difícil dispersar rapidamente a multidão, muitos dos quais chegaram de barco.

Precisamos de um processo para enviar os participantes para casa“, disse, em declarações à Reuters esta quinta-feira.

Os participantes vieram de todas as partes da Indonésia, um amplo arquipélago de mais de 250 milhões de pessoas. Centenas de pessoas viajaram de outros países do sudeste asiático, bem como do Médio Oriente, Paquistão e Bangladesh.

As infeções por coronavírus na Indonésia, na quarta-feira, foi de 227, com 19 mortes. No entanto, o país tinha realizado, até ontem, apenas 1.255 testes, embora a Organização Mundial da Saúde tenha alertado o governo no início deste mês para aumentar os testes para evitar um número muito mais alto de infecções no futuro.

O presidente da Indonésia, Joko Widodo, disse esta quinta-feira que o país intensificará os testes e instou os líderes religiosos a reavaliar os planos para grandes reuniões.contaminações e zero mortes.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Moçambique: Indústria extrativa é o setor que mais vai crescer em 2023

Moçambique: Indústria extrativa é o setor que mais vai crescer em 2023

Dados do Governo moçambicano preveem que a indústria extrativa vai ser o setor que mais crescerá no país em 2023, ao…
Cabo Verde: MpD quer reconquistar Câmara Municipal do Tarrafal

Cabo Verde: MpD quer reconquistar Câmara Municipal do Tarrafal

A nova coordenadora da Comissão Política Concelhia do MpD no Tarrafal, Ana Sousa e Silva, disse esta semana que o…
Angola: Juiz do Bié preocupado com sobrelotação nas prisões

Angola: Juiz do Bié preocupado com sobrelotação nas prisões

O juiz presidente da comarca do Bié, Nganga Pilates da Silva, disse estar preocupado com o excesso de prisão preventiva…
Cabo Verde: Governo quer garantir maior autonomia financeira dos municípios

Cabo Verde: Governo quer garantir maior autonomia financeira dos municípios

O Governo cabo-verdiano apresentou um pacote legislativo para assegurar maior autonomia financeira dos municípios. Neste sentido, defende uma efetiva descentralização,…