Ásia

Indonésia: Cavar sepulturas é punição para quem não usar máscara de proteção em Gresik

Oito pessoas que se recusaram a usar máscaras de proteção em público durante a pandemia do coronavírus receberam ordens das autoridades locais para cavar sepulturas para pessoas que morreram de Covid-19. A medida foi aplicada na regência de Gresik, Java Oriental, na Indonésia.

“Há apenas três coveiros disponíveis no momento, então achei melhor colocar essas pessoas a trabalhar com eles”, disse o chefe do distrito de Cerme, Suyono, ao Tribun News.

Os indivíduos foram obrigados a cavar sepulturas num cemitério público na vila Ngabetan, disse Suyono.

Suyono designou duas pessoas para cada túmulo para ajudar os coveiros. Das duas pessoas, uma é encarregue de cavar a sepultura, enquanto a outra de colocar tábuas de madeira dentro do buraco para apoiar o cadáver, referiu o responsável. Nenhum dos indivíduos punidos, é forçado a manusear os cadáveres, observou, acrescentando que a ação pode criar um efeito dissuasor contra as violações.

Suyono disse ainda que o número de casos de Covid-19 continuam a aumentar em Cerme. Este aumento levou a administração da aldeia a fortalecer os protocolos na região. De acordo com a Lei Regente nº 22/2020, os moradores que violarem os protocolos estão sujeitos a multas ou serviços comunitários como punição.

Jacarta repõe restrições sociais

Entretanto, Jacarta, a capital da Indonésia, tem verificado um aumento de casos de covid-19 representando mais de 54.000 do total de 218.000 casos do país. A cidade também registou 1.391 mortes do total de 8.723.

Em 13 de setembro, o governador de Jacarta, Anies Baswedan, anunciou duas semanas de restrições sociais de 14 a 27 de setembro, no que descreveu como uma decisão de emergência para controlar a rápida propagação dos casos de coronavírus em Jacarta.

Durante este período as atividades sociais, económicas, religiosas, culturais e académicas serão restritas. Apenas 11 setores essenciais, como alimentação, construção e bancos, estão autorizados a operar com protocolos de saúde e com 50 por cento dos níveis habituais de funcionários.

Escolas, parques, locais de recreação e locais para receções de casamento devem encerrar totalmente. Restaurantes e cafés são limitados a serviço de take away. Os centros comerciais devem limitar o número de visitantes e o seu horário. Somente locais religiosos em áreas residenciais podem ser abertos.

Jacarta impôs restrições sociais em grande escala de abril a junho. Depois desse período facilitou o processo gradualmente com a reabertura de empresas e uso de protocolos de saúde. No entanto, o vírus propagou-se significativamente desde junho, sobrelotando os hospitais da capital.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo