Ásia

Indonésia: Mais de 500 presos nos protestos contra as reformas no Código Penal

Mais de 500 pessoas foram presas após confrontos na capital da Indonésia nos protestos que ocorreram por todo o país contra uma série de reformas, incluindo a proibição do sexo antes do casamento, informaram as autoridades na terça-feira.

As prisões ocorreram após uma noite de confrontos nas ruas entre policias e manifestantes que atiravam pedras no centro da cidade de Jacarta.

Forças de segurança se prepararam para mais distúrbios na terça-feira, quando 575 deputados tomaram posse no edifício do parlamento, fortemente barricado.

Desde a semana passada, pelo menos dois estudantes morreram e centenas ficaram feridos numa onda de protestos que ocorreu no arquipélago do Sudeste Asiático, apenas algumas semanas antes do presidente Joko Widodo começar outro mandato como chefe da terceira maior democracia do mundo.

Os recentes protestos estão entre os maiores comícios estudantis desde que manifestações de rua em massa em 1998 derrubaram a ditadura de Suharto.

As manifestações protestam contra um projeto de lei que inclui dezenas de mudanças legais – desde criminalizar o sexo antes do casamento e restringir as vendas de contraceptivos até tornar ilegal insultar o presidente e endurecer a lei de blasfémia do país de maioria muçulmana.

A aprovação das reformas foi adiada e Widodo disse que também consideraria rever um projeto de lei separado, que os críticos temem que dilua os poderes da agência de combate à corrupção da Indonésia.

A atualização do Código Penal da Indonésia – que remonta à era colonial holandesa – tem vindo a ser debatida há décadas, mas houve um novo impulso este ano, apoiado por grupos islâmicos conservadores.

As mudanças controversas podem afetar milhões de indonésios, incluindo casais gays e heterossexuais que podem ser presos por terem relações sexuais fora do casamento ou ter uma relação.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo