Ásia

Indonésia: Presidente declara Covid-19 “desastre nacional não-natural”

O presidente Joko “Jokowi” Widodo declarou o surto de COVID-19 na Indonésia um “desastre nacional não natural” num decreto presidencial.

O decreto, emitido na segunda-feira, “declara o desastre não natural causado pela propagação do COVID-19 como um desastre nacional“. O documento também afirma que os esforços para mitigar o surto devem ser liderados pela Task Force COVID-19 com a cooperação de administrações regionais, ministérios e agências nacionais.

“Governador, regentes e autarcas, como líderes da Task Force COVID-19 [nas suas respetivas regiões], devem ter em mente as políticas do governo central ao fazer estabelecer qualquer medida”, refere o decreto.

Algumas regiões com um grande número de casos declararam restrições sociais em larga escala (PSBB), nomeadamente em Jacarta, municípios de Bogor, Depok e Bekasi, Regências de Bogor e Bekasi, os municípios de Tangerang e Tangerang do Sul, e regência de Tangerang e município de Pekanbaru.

Nacionalmente, o governo aconselhou a população a ficar em casa e a manter distância nas interações sociais. “O governo permanecerá consistente com a política da PSBB, mas a Task Force COVID-19 terá uma autoridade mais ampla“, disse o chefe da Agência Nacional de Mitigação de Desastres, Doni Monardo, ao The Jakarta Post esta terça-feira.

O responsável acrescentou que a autoridade ampliada incluiria facilidade de acesso a recursos humanos, mobilização de equipamentos e logística, imigração, alfândega e quarentena, autorizações, aquisição de bens e serviços, resgate, comando do setor e agência e gestão e prestação de contas e dinheiro e bens.

Achmad Yurianto, porta-voz do governo para assuntos relacionados ao COVID-19, afirmou ao jornal que a declaração de uma emergência nacional não resultaria numa mudança de política, acrescentando que o governo fortaleceria as medidas existentes.

Na segunda-feira, a Indonésia tinha 4.557 casos confirmados de Covid-19, 399 mortos e 380 casos em recuperação. Jacarta tornou-se o epicentro do surto, registando 2.186 casos com 204 mortes e 142 recuperações.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo