Ásia

Indonésia: Primeiros casos de coronavírus confirmados com receio de que o país esteja mal preparado para surto

Duas cidadãs indonésias testaram positivo para o novo coronavírus após entrar em contato com um cidadão japonês infetado, anunciou o presidente do país esta segunda-feira. Estes são os primeiros casos a serem notificados no quarto país mais populoso do mundo. A confirmação acompanha a crescente preocupação de que o país não consiga identificar a transmissão do vírus.

Segundo declarações aos jornalistas do presidente Joko Widoso, as duas doentes foram hospitalizadas em Jacarta. As mulheres, de 64 anos e a sua filha de 31 anos, tiveram resultado positivo depois de estar em contato com um japonês que morava na Malásia e que visitou a Indonésia.

Uma equipa médica da Indonésia tinha rastreado os movimentos do visitante japonês antes de descobrir os casos, disse Widodo.

As análises concluíram que elas estavam doentes. Hoje de manhã, recebi um relatório de que mãe e filha tiveram resultado positivo para coronavírus”, disse Widodo, acrescentando que estavam a ser tratadas no hospital de doenças infeciosas Sulianti Saroso, em Jacarta.

Especialistas em saúde alertaram que a falta de pacientes confirmados na Indonésia, um país de 272 milhões de pessoas, é surpreendente, principalmente devido aos seus laços estreitos com a China.

A Indonésia, que recebe investimentos chineses significativos, depende muito do turismo chinês e tem uma comunidade considerável de chineses e indonésios, representando aproximadamente 3% da população.

No mês passado, investigadores da Universidade de Harvard analisaram o tráfego aéreo de Wuhan, a cidade chinesa onde o surto teve origem, e concluíram que os números de casos eram inferiores ao esperado. Também levantaram preocupações sobre outros países do Sudeste Asiático, como Tailândia e Cambodja. Na altura, o ministro da Saúde da Indonésia, Terawan Agus Putranto, considerou o estudo um “insulto” e defendeu os processos de triagem do país.

Outras preocupações foram levantadas quando a Nova Zelândia e a Malásia relataram que pacientes com resultado positivo para o vírus dentro das suas fronteiras tinham viajado recentemente para a Indonésia.

No sábado, Ary Hermawan, do JakartaPost, questionou se as autoridades estavam a ser transparentes, acrescentando que o governo parecia mais preocupado “com o impacto social e económico de uma histeria em massa criada pelo surto de vírus do que pelo próprio surto“.

O Balitbangkes da Indonésia, a agência encarregada de testar casos suspeitos, só efetuou cerca de 140 testes de laboratório, segundo relatou Hermawan. “Para colocar as coisas em perspectiva, em 26 de fevereiro, o Reino Unido realizou 7.132 testes, 13 dos quais voltaram positivos”, acrescentou.

De acordo com o ministro da Saúde indonésio, Terawan Agus Putranto, o visitante japonês era amigo da família das duas mulheres e tinha estado em sua casa. As autoridades estão a verificar com quem mais o indivíduo pode ter entrado em contato.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo