Irão rejeita regime dos talibãs no Afeganistão

O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros do Irão, Said Khatibzadeh, afirmou em conferência de imprensa que espera que o Governo do Afeganistão avance numa direção que lhe permita o reconhecimento internacional.

Khatibzadeh deixou claro nesta segunda-feira, 03 de janeiro, que o Governo iraniano está longe de reconhecer o regime dos talibãs no Afeganistão. Neste âmbito, apelou à formação de um governo inclusivo naquele país, de maneira a ser conquistada a confiança da comunidade internacional.

“Não estamos de todo no ponto de reconhecimento (dos talibãs). Esperamos que o órgão de governo do Afeganistão avance com ações numa direção que permita o reconhecimento internacional”, frisou, citado pela “Lusa”.

“Os países vizinhos do Irão e do Afeganistão insistem, em particular, na formação de um governo inclusivo que reflita a diversidade étnica e demográfica deste país”, prosseguiu.

O Irão xiita partilha uma fronteira de mais de 900 quilómetros com o Afeganistão.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Timor-Leste: Presidente da República volta a criticar setor judicial

Timor-Leste: Presidente da República volta a criticar setor judicial

O Presidente da República de Timor-Leste, José Ramos-Horta, criticou o uso excessivo da prisão preventiva, assim como o “cópia e cola”…
Brasil: Média móvel de mortes por covid-19 no país já alcança 80 por dia

Brasil: Média móvel de mortes por covid-19 no país já alcança 80 por dia

O Brasil registou mais 15 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, chegando às 689.560 desde o início da pandemia.…
Guiné Equatorial: Oposição continua a reclamar votos "roubados" nas eleições

Guiné Equatorial: Oposição continua a reclamar votos "roubados" nas eleições

O Presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, foi reeleito no sufrágio de 20 de novembro com 94,9% dos…
Rússia: Mães lançam petição para protegerem filhos da guerra

Rússia: Mães lançam petição para protegerem filhos da guerra

Um grupo de mães de soldados russos decidiu unir-se a um grupo ativista para lançar uma petição online onde é…