Presidente filipino acusado de ter ordenado assassinatos em Davao

Arthur Lascanas, polícia filipino reformado, acusou esta segunda-feira o presidente filipino, Rodrigo Duterte, de ter ordenado numerosos assassinatos.

Acompanhado por três advogados, reputados como defensores dos direitos humanos, durante uma conferência de imprensa, Lascanas citou vários assassinatos cometidos em Davao com instruções do atual presidente.

Segundo Arthur Lascanas, Rodrigo Duterte terá ordenado vários assassinatos, para eliminar oposição, mas também combater a criminalidade. O antigo polícia reconheceu ter morto os seus dois irmãos, implicados no narcotráfico, por “lealdade cega” ao presidente filipino, mas também por ter sido remunerado para o fazer.

O porta-voz da presidência filipina, Martin Andanar, já rejeitou todas as acusações de Lascanas, o qual qualificou de “autoproclamado assassino a soldo” que pretende “destruir o presidente e derrubar o seu governo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Angola mantém aposta na diplomacia económica

Angola mantém aposta na diplomacia económica

O ministro das Relações Exteriores de Angola, Téte António, reiterou a aposta do Governo na promoção da diplomacia económica. O…
Investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra ganha pela segunda vez concurso ERC

Investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra ganha pela segunda vez concurso ERC

A Investigadora Principal do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (CES-UC), Ana Cristina Santos, acaba de ganhar um…
Cabo Verde: PR propõe fundos para autonomia dos municípios

Cabo Verde: PR propõe fundos para autonomia dos municípios

O Presidente da República de Cabo Verde, José Maria Neves, propõe a criação de um Fundo de Desenvolvimento Local e…
Timor-Leste: Representante da CPLP apela à participação nas presidenciais

Timor-Leste: Representante da CPLP apela à participação nas presidenciais

O chefe da missão de observação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) às eleições presidenciais em Timor-Leste, o…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin