Rússia, China e Irão unem-se para cooperar com o Afeganistão

A Rússia, a China e o Irão apelaram nesta quarta-feira, 20 de outubro, à cooperação com o novo Governo talibã no Afeganistão. O objetivo é garantir a “estabilidade” da região. 

Representantes de dez países da região reuniram-se em Moscovo, capital russa, para conversarem com uma delegação dos talibãs. Foi pedido à delegação que aplicasse “políticas moderadas” a nível de política interna e externa, de acordo com uma declaração comum divulgada após o encontro. 

Trataram-se das primeiras conversações internacionais dos talibãs desde que tomaram o poder, a 15 de agosto. O encontro contou com a presença de representantes da Rússia, China, Irão, Paquistão, Índia e das cinco ex-repúblicas soviéticas da Ásia Central. 

Os países participantes exortaram os novos líderes de Cabul a adotar “políticas amigáveis face aos vizinhos do Afeganistão, atingir os objetivos comuns de uma paz duradoura, da segurança e prosperidade a longo prazo”. Pediram igualmente que fossem respeitados “os direitos dos grupos étnicos, das mulheres e das crianças”

Os dez países apelaram igualmente a uma “iniciativa coletiva” para organizar com as Nações Unidas uma conferência de doadores para o Afeganistão. Isto porque consideram que o “fardo” da reconstrução económica e do desenvolvimento do Afeganistão deverá ser assumido “pelos atores [do conflito] que estiveram no país nos últimos 20 anos”, referindo-se assim às forças norte-americanas e à Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN/NATO). 

Rússia reconhece esforços dos talibãs para estabilizarem o Afeganistão 

O ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov, declarou nesta quarta-feira que a Rússia reconhece os “esforços” dos talibãs na estabilização do Afeganistão, numa altura em que os riscos do “terrorismo” no país ameaçam toda a região. 

“Nós reconhecemos os esforços levados a cabo para a estabilização e a situação política e militar”, afirmou durante o primeiro encontro internacional, em Moscovo, com o novo poder afegão. 

Segundo Lavrov, há atualmente riscos de “atividades terroristas e de tráfico de droga transbordarem do território para os países vizinhos”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin