Rússia considera-se atacada se houver intervenção nos territórios anexados

O Kremlin voltou a avisar nesta sexta-feira, 30 de setembro, que vai considerar ataques a territórios ucranianos recém-anexados como uma agressão contra a Rússia

A afirmação foi feita pelo porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, quando essa questão lhe foi feita depois da assinatura dos documentos de anexação. 

No entanto, vários membros da NATO e da União Europeia já afirmaram que não consideram legais os referendos que levaram à anexação de quatro regiões da Ucrânia pela Rússia. 

O Reino Unido, por exemplo, segundo a primeira-ministra britânica Liz Truss, “nunca aceitará” que as regiões de Donetsk, Lugansk, Kherson e Zaporizhzhia “sejam algo que não território ucraniano”

“Putin não pode ser autorizado a alterar as fronteiras internacionais recorrendo a força bruta. Vamos assegurar-nos que ele perde esta guerra ilegal”, afirmou a governante em comunicado, citado pela “Reuters”.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Moçambique: FMI prevê elevado crescimento do crédito à economia

Moçambique: FMI prevê elevado crescimento do crédito à economia

O Fundo Monetário Internacional (FMI) estima um crescimento considerável do crédito à economia em 2023 para Moçambique.  Se isso se…
Angola: Governo entrega proposta do OGE 2023 até 15 de dezembro

Angola: Governo entrega proposta do OGE 2023 até 15 de dezembro

O Governo angolano assegurou nesta quinta-feira, 24 de novembro, que vai entregar a proposta do Orçamento Geral do Estado (OGE)…
Cabo Verde regista três casos da sub-linhagem da variante Ómicron “BQ.1.1”

Cabo Verde regista três casos da sub-linhagem da variante Ómicron “BQ.1.1”

Segundo a Ministra da Saúde de Cabo Verde, Filomena Gonçalves, desde o início de novembro houve um pequeno aumento dos…
Portugal reconhece qualificações académicas de 100 refugiados ucranianos

Portugal reconhece qualificações académicas de 100 refugiados ucranianos

A Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) de Portugal já reconheceu as qualificações académicas de cerca de 100 cidadãos ucranianos desde…