Vulcão da Indonésia que desencadeou o tsunami já perdeu dois terços da sua altura

Anak Krakatoa, o vulcão indonésio que provocou um tsunami há uma semana, perdeu dois terços da sua altura, anunciou uma agência do governo.

A altura do vulcão passou de 338 metros acima do nível do mar para 110 metros, disse o Centro de Vulcanologia e Mitigação de Riscos Geológicos da Indonésia num relatório.

Erupções adicionais de segunda a quinta-feira também levaram o vulcão a perder um volume de 150 milhões a 180 milhões de metros cúbicos, segundo o relatório. O seu volume é agora de 40 a 70 milhões de metros cúbicos.

O tsunami de 22 de dezembro foi desencadeado por uma erupção vulcânica que fez com que uma parte de 64 hectares do Anak Krakatau caísse no oceano.

Agências do governo e de resgate mencionaram múltiplos fatores na onda que atingiu as costas das ilhas de Java e Sumatra. A erupção veio na maré alta durante a lua cheia, e o Estreito de Sunda, que fica entre Java e Sumatra, também tinha sido assolado por muita chuva.

No sábado, a Indonésia atualizou o número de pessoas mortas no tsunami  para 426 pessoas – corrigindo o número anterior de 430 – citando duplicações nas gravações do governo.

Numa conferência de imprensa na sexta-feira, Sutopo Purwo Nugroho, porta-voz da agência indonésia de gestão de desastres, disse que 7.202 pessoas ficaram feridas, 29 pessoas ainda estão desaparecidas e 43.386 foram desalojadas.

As autoridades revelaram nesta semana que foram colocados sensores perto de Anak Krakatau para melhor detecção de atividade dentro do vulcão, na esperança de fornecer um alerta sobre as erupções.

As autoridades indonésias foram duramente criticadas pelo estado do sistema de detecção e alerta de tsunamis do país, que está praticamente inativo desde pelo menos 2012.

O nível de alerta para o vulcão permanece no segundo nível mais alto: nível 3. Os tremores continuam e um fluxo piroclástico, uma mistura de cinzas, rochas e gases vulcânicos, estende-se a 2 quilómetros da cratera. O fluxo piroclástico pode ser muito mais perigoso do que a lava.

Mais da metade da população foi evacuada nas ilhas Sebesi e Sebuku, perto de Anak Krakatau, no estreito de Sunda.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Guiné-Bissau: Administração pública instrumento dos políticos para pagarem apoios

Guiné-Bissau: Administração pública instrumento dos políticos para pagarem apoios

A Rede Oeste Africana para Edificação da Paz (WANEP) denuncia ajuste de conta na administração pública guineense e alerta para…
Moçambique: Governo analisa Proposta da Estratégia da Política da Juventude

Moçambique: Governo analisa Proposta da Estratégia da Política da Juventude

O Governo moçambicano e os seus parceiros querem operacionalizar a Proposta de Estratégia de Implementação da Política da Juventude 2023-2024.…
Angola prevê crescimento económico de cerca de 3%

Angola prevê crescimento económico de cerca de 3%

O secretário de Estado para o Planeamento de Angola, Luís Epalanga, avançou que a economia do país deverá alcançar um crescimento…
Guiné-Bissau: Partidos alertam para a agudização da instabilidade e caos total

Guiné-Bissau: Partidos alertam para a agudização da instabilidade e caos total

A Coligação PAI Terra Ranka e o Fórum para a Salvação da Democracia, que congrega MADEM-G15, PRS e APU-PDGB, reuniram…