Cientistas estimam que 85% da população mundial é afetada pelas alterações climáticas

As alterações climáticas vão piorar muito se não agirmos de imediato. Essa foi a conclusão de um relatório marcante do Painel Intergovernamental sobre as Alterações Climáticas, lançado em agosto, que alertou que todas as regiões do planeta serão afetadas pelo aumento das temperaturas.

Um novo artigo, publicado na revista Nature Climate Change ontem, 11 de outubro, acrescenta alguma especificidade a essa previsão. Usando inteligência artificial para analisar mais de 60.000 estudos relacionados às mudanças climáticas, investigadores na Alemanha estimam que 85% da população é afetada por mudanças climáticas induzidas pelo homem.

O estudo foi liderado por Max Callaghan, do Instituto de Pesquisa Mercator sobre Global Commons e Mudanças Climáticas de Berlim, que afirma, “há evidências contundentes de que os impactos das mudanças climáticas já estão a ser observados nos sistemas humanos e naturais”.

“Inferimos que impactos antrópicos atribuíveis podem estar a ocorrer em 80% da área terrestre do mundo, onde 85% da população reside”, acrescenta ainda o investigador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin