Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) partilhou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que já são mais de 422 mil os ucranianos que fugiram do país devido à invasão russa. A esse número somam-se mais de 100 mil deslocados internos pelo conflito. 

Os países que mais têm acolhido estes refugiados têm sido os vizinhos da Ucrânia, como a Hungria, a Moldávia, a Polónia e a Roménia. Esta informação foi igualmente divulgada pelo ACNUR, através da sua conta na rede social Twitter. 

Na semana passada, o ACNUR e o Governo ucraniano avisaram que o número de refugiados poderia aumentar até cinco milhões de pessoas. Trata-se de quase um décimo da população da Ucrânia, que tem um total de 44 milhões de habitantes. 

O alto comissário da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Refugiados, Filippo Grandi, tem pedido aos países vizinhos da Ucrânia que “mantenham as suas fronteiras abertas para aqueles que procuram segurança e proteção”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Comunidade ucraniana em Portugal angaria bens para enviar à Ucrânia

Comunidade ucraniana em Portugal angaria bens para enviar à Ucrânia

A comunidade ucraniana de Vila Real, a Norte de Portugal, está a angariar medicamentos, comida enlatada e com muita validade,…
Presidente da Ucrânia apela a soldados russos para saírem do país

Presidente da Ucrânia apela a soldados russos para saírem do país

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, apelou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, aos soldados russos para que deponham as armas e…
Revista de Imprensa Lusófona de 28 de fevereiro de 2022

Revista de Imprensa Lusófona de 28 de fevereiro de 2022

A “Agência Brasil” refere que “Brasileiros que saíram de Kiev chegam à Roménia”. Já “O Globo” tem em manchete o…
Moçambique: IESE diz que Covid-19 não foi principal causa de recessão do país

Moçambique: IESE diz que Covid-19 não foi principal causa de recessão do país

O Instituto de Estudos Sociais e Económicos (IESE) considera que a Covid-19 não foi a principal causa da recessão económica em Moçambique.…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin