“Temos homens que podem tirar a Líbia desta confusão”, garante Abderahim Halloum

As eleições na Líbia podem ser uma das soluções para o início do fim do caos. Apesar de persistirem dúvidas da realização do sufrágio a 24 de Dezembro, tal como ainda está agendado, os candidatos prosseguem a sua acção, entre eles destaca-se Abderahim Halloum.

Natural de Ajdabia, Abderahim Halloum, 57 anos, empresário formado em Ciências da Administração, originário de uma das maiores tribos líbias, os Zwayas, presente ao longo de 250 quilómetros da costa até ao Egipto e igualmente no Sudão.

Abderahim Halloum, que vinca que das suas raízes herdou a sabedoria e a ponderação, destacou que durante longos períodos esteve directamente implicado no programa de reconciliação nacional e realçou o sucesso da sua acção na criação de elos entre os dois principais campos do Este e Oeste, que disputam o poder.

O candidato à presidência, Abderahim Halloum, conseguiu igualmente criar as condições que viabilizaram que os dois protagonistas mais destacados do conflito líbio estabelecessem contactos para busca de uma solução política.

Abderahim Halloum disse à e-Global que “a organização das eleições é uma passagem obrigatória que permitirá ao nosso país concluir a sua edificação institucional”, e explicou que o seu colectivo participa nas eleições “para permitir ao nosso país sair desta crise que já dura há demasiado tempo”, disse.

Sobre as suas propostas e programa eleitoral, Abderahim Halloum garantiu que “esse trabalho já começou há muito tempo”, e precisou que começou com a mais complexa tarefa com a “reunificação dos diferentes clãs e mentalidades. Não foi uma tarefa fácil, mas nós estávamos convictos que era o caminho certo e necessário”.

“Participamos nas negociações de Gkara 1 e Gkara 2 em que foi necessário um trabalho desgastante e de longo prazo para conseguirmos aproximar ideias e as abordagens de uns e outros. Estivemos muito empenhados e os nossos esforços não foram em vão, tendo em conta que as diferentes partes acabaram por alinhar na nossa abordagem que, na realidade, é a da reconciliação nacional”, explicou Abderahim Halloum.

“O objectivo é unificar o país, e garantir a sua estabilidade com boas bases, mas também libertar o país da dependência das potências estrangeiras que apenas pretendem saciar o seu voraz apetite com as riquezas do nosso país”, disse Abderahim Halloum que acrescentou que “temos os homens certos que podem tirar o país desta confusão, mas também uma base sólida que podemos contar para atingir os nossos objectivos”, garantiu Abderahim Halloum, candidato à presidência da Líbia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin