Entre janeiro e julho deste ano Arábia Saudita executou pelo menos 40 pessoas, Aministia Internacional

A Aministia Internacional lançou um novo relatório sobre a repressão na Arábia Saudita após o período em que assumiu a presidência do G20.

Segundo a organização, durante 2020, as execuções registadas na Arábia Saudita diminuíram 85%. Imediatamente após o fim da presidência da Arábia Saudita do G20, as execuções foram retomadas com 9 pessoas executadas apenas em dezembro de 2020. Este ano, só entre janeiro e julho de 2021, pelo menos 40 pessoas foram executadas.

O relatório “Saudi Arabia’s post-G20 – Crackdown on Expression: Resumption of crackdown on free speech, human rights activism and use of death penalty”, lançado no passado dia 3 de agosto, documenta como, na sequência de uma pausa nos processos judiciais contra ativistas pacíficos e de uma queda significativa do número de execuções enquanto a Arábia Saudita assumiu a presidência do G20 em 2020, as autoridades intensificaram a sua repressão e aumentaram as execuções no primeiro semestre deste ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: IESE diz que Covid-19 não foi principal causa de recessão do país

Moçambique: IESE diz que Covid-19 não foi principal causa de recessão do país

O Instituto de Estudos Sociais e Económicos (IESE) considera que a Covid-19 não foi a principal causa da recessão económica em Moçambique.…
Guiné-Bissau: Presidente exonera Chefe de Estado-maior da armada e vice do Exército

Guiné-Bissau: Presidente exonera Chefe de Estado-maior da armada e vice do Exército

Segundo uma nota do Gabinete de Comunicação da Presidência da República, citando o Decreto Presidencial, “é o Contra Almirante, Carlos…
Timor-Leste: Elaboração do Plano de Urbanização de Díli aprovada

Timor-Leste: Elaboração do Plano de Urbanização de Díli aprovada

O Conselho de Ministros de Timor-Leste aprovou a elaboração do Plano de Urbanização de Díli. O objetivo é melhorar a…
Angola: Governo aprova mais de 15 mil milhões de kwanzas para Agricultura e Pescas

Angola: Governo aprova mais de 15 mil milhões de kwanzas para Agricultura e Pescas

O ministro da Agricultura e Pescas de Angola, António Francisco de Assis, informou que foram aprovados mais de 15 mil…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin