Mundo

ONU lança apelo humanitário recorde de 35 mil milhões de dólares para 2021

A Organização das Nações Unidas (ONU) lançou na terça-feira um apelo humanitário recorde de 35 mil milhões de dólares (29 mil milhões de euros) para 2021, numa altura em que a pandemia Covid-19 colocou centenas de milhões de pessoas na pobreza e na fome iminente.

Devido à pandemia Covid-19, o número de pessoas que precisam de ajuda humanitária em todo o mundo atingirá um novo recorde de 235 milhões, um aumento de 40% num ano, segundo os planos de resposta humanitária coordenados pela ONU.

Os fundos solicitados pela ONU e seus parceiros visam ajudar em 56 países cerca de 160 milhões de pessoas (dos 235 milhões) dos mais vulneráveis ​​que enfrentam a fome, conflitos, deslocamento e as consequências das mudanças climáticas e da pandemia.

Este ano, “o aumento deve-se quase inteiramente à Covid-19”, que matou pelo menos 1,46 milhão de pessoas em quase um ano, disse o responsável de Assuntos Humanitários da ONU, Mark Lowcock, em conferência de imprensa. “O quadro que apresentamos é o mais sombrio que já apresentamos em termos de necessidades humanitárias futuras”, acrescentou.

A pandemia tem perturbado a vida de todos, em todos os cantos do planeta, observa a ONU, destacando que “aqueles que já viviam no fio da navalha foram severa e desproporcionalmente afetados pelo aumento dos preços dos alimentos, queda de rendimentos, interrupção dos programas de imunização e encerramento de escolas”.

“Múltiplas fomes estão no horizonte”

Pela primeira vez desde o final dos anos 1990, a pobreza extrema aumentou. A expectativa de vida está a cair em todo o mundo e o número anual de mortes por HIV, tuberculose e malária pode duplicar.

Além disso, “múltiplas fomes estão no horizonte”, avisa a ONU. “As luzes estão vermelhas e os alarmes estão a tocar”, alertou Mark Lowcok. No final de 2020, 270 milhões de pessoas poderiam sofrer de insegurança alimentar aguda, 82% a mais do que antes da pandemia.

Pessoas no Iémen, Burkina Faso, Sudão do Sul e nordeste da Nigéria estão à beira da fome, enquanto outros países e regiões, como Afeganistão e Sahel, também estão “potencialmente muito vulneráveis”, disse Mark Lowcok.

O apelo da ONU mostra a Síria e o Iémen devastados pela guerra no topo da lista dos países que mais precisam de ajuda humanitária. A ONU pede quase seis mil milhões de dólares para ajudar milhões de sírios em casa e ao redor do mundo e quase 3,5 mil milhões de dólares para apoiar cerca de 20 milhões de pessoas no Iémen, na mais séria crise humanitária no planeta.

Este ano, doadores internacionais forneceram financiamento recorde de mais de 17 mil milhões para a resposta humanitária coletiva, dos 29 mil milhões solicitados em dezembro passado.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo