Sahel | Segurança

Mali: Pelo menos 32 ‘Fulas’ mortos num ataque atribuído aos Dozos no centro do país

Um ataque atribuído aos caçadores tradicionais, Dozos, deixou pelo menos 32 mortos no sábado, entre a comunidade de fulas, na aldeia de Koumaga, na região de Mopti, no centro de Mali.

“Eles cercaram a aldeia, isolaram os fulas das outras comunidades e, friamente, mataram pelo menos 32 civis. Mais dez estão desaparecidos “, disse um funcionário da principal associação Fula no Mali.

A violência tem aumentado desde os três anos no centro do Mali entre Fulas, tradicionalmente pastores, e as etnias Bambara e Dogon, na sua maioria agricultores. Os fulas denunciam regularmente os abusos contra a sua comunidade em nome da luta contra os jihadistas, por grupos de caçadores tradicionais, estimulados ou tolerados pelas autoridades ou os militares, o que é negado pelo governo.

Nos últimos meses, os anúncios feitos pelo exército maliano sobre “terroristas neutralizados” no centro do Mali têm sido muitas vezes contestados por organizações de defesa dos direitos humanos e pelos habitantes, que denunciam execuções extra-judiciais.

De acordo com o presidente da associação Tabila Pullaku, tinha informado as autoridades do Mali do ataque iminente e “somente após o fato consumado é que o exército do Mali atuou.”

Os Estados Unidos pediram na quinta-feira ao Mali a realização de uma investigação “credível e transparente”, após a descoberta de 25 corpos em três valas comuns na região de Mopti e o reconhecimento por parte do governo em Bamako, do envolvimento de “algum pessoal “do exército.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo