Economia | Sahel

Mauritânia mantém acordo de pesca considerado ilegal

As autoridades da Mauritânia mantêm o acordo de pesca de 100 milhões de dólares que as vincula à empresa chinesa Poly Hondone Pelagic FysherY Co, apesar de ter sido considerado ilegal pela Comissão Parlamentar de Inquérito à administração de Mohamed Ould Abdel Aziz, presidente da Mauritânia de 2008 a 2019.

O acordo prevê um investimento de 100 milhões de dólares por parte da Poly Hondone para a construção de uma instalação de processamento de pescado de 25.000 e 40.000 toneladas por ano, gerando 1.000 a 2.500 empregos em troca de licenças de pesca emitidas pela Mauritânia.

Além de ser ilegal, esta convenção está atrasada no cumprimento das suas cláusulas e abre caminho para a pilhagem dos recursos pesqueiros, denuncia o relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito.

Apesar da conclusão da Comissão, as autoridades mauritanas mantêm negociações com os chineses para renovar o memorando de entendimento que vincula as duas partes e que é renovável a cada 5 anos.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo