Sahel | Segurança

Menina de cinco anos raptada e decapitada num suposto crime ritual no Mali

Habitantes revoltados de uma aldeia a norte de Bamaco, no Mali, incendiaram o quartel-general da polícia depois de uma menina de cinco anos de idade com albinismo ter sido sequestrada e morta por homens armados em Mali.

A criança que vivia em numa aldeira em Fana, 125 quilômetros ao norte da capital, Bamako, foi raptada do pátio onde dormia com a mãe e a irmã na madrugada de domingo. O corpo sem cabeça da menina foi encontrado mais tarde ao lado da mesquita.

“Nós exigimos justiça. A sua cabeça foi levada. Este é um crime ritual ”, disse o ativista Mamadou Sissoko à agência de notícias AFP depois de ir ao local.

Testemunhas disseram que aldeões revoltados queimaram parcialmente o quartel-general da polícia paramilitar. As lojas permaneceram fechadas durante a maior parte da segunda-feira, enquanto os protestos continuavam.

Há preocupações de que o assassinato possa estar ligado à eleição presidencial do Mali, que está agendada para o final de julho.

Existe uma crença entre alguns grupos em partes da África de que poções feitas a partir de partes do corpo de pessoas com albinismo podem trazer boa sorte e riqueza.

Segundo Sissoko “Sempre que há eleições, somos alvo de pessoas que querem fazer sacrifícios rituais. Esta não é a primeira vez que isto acontece em Fana.
“O estado tem que assumir responsabilidades.”

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo