Sahel

Níger proíbe ministros e deputados de recorrerem a tratamento médico no exterior

Após o Conselho de Ministros de 16 de março, o Níger decidiu proibir todos os ministros, deputados e outras personalidades de procurarem tratamento médico no exterior, exceto em casos excecionais que não possam ser tratados no local, para reduzir as despesas do Estado.

De acordo com os números apresentados pelo Ministro da Saúde, Idi Illiassou, os custos das evacuações médicas de personalidades, geralmente para Marrocos, Tunísia e França foram “multiplicados por dez entre 2010 e 2017”, de 800 milhões de Francos CFA (1,2 milhões de euros) em 2010, para 10 mil milhões em 2017 (15 milhões de euros).

Nesse sentido, o país possui um hospital de referência em Niamey, com uma capacidade de 500 camas estimada em mais de 45 bilhões de francos CFA (68 milhões de euros).

Inaugurado em 2017 pelo presidente nigeriano Mahamadou Issoufou, o hospital também possui uma equipa composta de médicos chineses, turcos e cubanos.

Note-se que o Níger é um dos países mais pobres do mundo, apesar de ter um subsolo extremamente rico em urânio.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo