Sahel

Sanogo em greve de fome por um julgamento célere

O capitão Amadou Sanogo e 16 co-detidos, acusados no caso do assassinato de 21 boinas vermelhas militares, decidiram começar uma greve de fome para exigir o seu julgamento.

Perseguido pelo envolvimento no assassinato de cerca de 21 soldados em 2012, o ex-líder da junta militar do Mali, Amadou Sanogo e 16 detidos anunciaram na segunda-feira que começaram uma greve de fome para denunciar a prescrição do prazo da sua detenção em prisão preventiva.

O julgamento, que foi adiado várias vezes, devia retomar em 2017, mas até agora nenhuma data foi fixada.

Se não houver julgamento, todos os acusados devem ser libertados, de acordo com os seus advogados.

Recorde-se que o capitão Sanogo e 16 co-arguidos são julgados por “sequestro e assassinato, e cumplicidade em sequestro e assassinato” de boinas vermelhas, cujos corpos foram encontrados em 2013 numa vala em Diago.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo