Crise | Sahel

Violentas manifestações no Sudão contra o aumento do preço do pão

A recente decisão do governo de aumentar o preço do pão de 1 a 3 libras sudanesas (0.2 a 0.6 euros) provocou desde quarta-feira 19 de Dezembro uma revolta popular que tem vindo a ser traduzida por múltiplas manifestações. Este domingo 23 de Dezembro foi o quinto dia da vaga de manifestações que cada vez atinge mais cidades, entre as quais a capital Cartum.

A intensidade e a violência crescente das manifestações já causaram oito mortos, seis em Al-Gadaref e dois em Atbara. O principal dirigente da oposição, que recentemente foi autorizado a regressar ao país, Sadek Al-Mahdi garante que a “revolta do pão” já terá causado 22 mortos.

Com uma inflação que já avizinha os 70%, o Sudão faz face a uma crónica crise económica, tendo a subida do preço do pão sido o despoletar de um levantamento popular que se alastra em todo o país, com os manifestante avançarem que “o povo quer queda do regime”, tal como se ouvia este domingo centenas de pessoas a gritarem no mercado de Oum Rawaba no estado de Kordofan do Norte.

Na vaga dos protestos, trabalhadores de vários sectores apelaram à intensificação das acções com greves, especialmente nos hospitais. Receando que os protestos degenerarem em violência, e a forte presença de polícias antimotim, as autoridades decidiram encerrar este domingo e por um período indeterminado as escolas e universidades.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo