50.315 estudantes entraram no ensino superior através do concurso nacional

50 315 estudantes entraram no ensino superior público, através do concurso nacional de acesso 2022, que terminou com o encerramento da 3.ª fase, na qual ingressaram 1034 novos estudantes. 

Os dados da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES), divulgados pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), revelam que «50 315 estudantes ingressaram em 2022-2023 no ensino superior público através do concurso nacional de acesso», considerando todos os colocados em todas as fases, dos quais 29 948 entraram para universidades e 20 367 para politécnicos.

Este ano foram fixadas 54 641 vagas para o concurso nacional de acesso ao ensino superior pelo que, concluída a 3.ª e última fase, a colocação de 50 315 estudantes representa uma ocupação de 92,1%, de acordo com os dados da DGES. Essa taxa nas universidades aumenta para 97,5%, com 29 948 admitidos entre as 30 721 vagas inicias, e nos politécnicos desce para 85,1%, com 20367 colocados entre as 23 920 vagas.

Já tinham sido colocados 49 806 estudantes na 1.ª fase e 9478 na 2.ª fase, alguns destes já tinham entrado anteriormente noutra opção que não a 1.ª e, por isso, voltaram a tentar a sorte.

A 3.ª fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior resultou, assim, na colocação de mais 1034 estudantes, dos quais 418 em universidades e 616 em politécnicos, o que, no total, corresponde a cerca de 20% dos 5 047 candidatos considerados válidos (foram excluídos do concurso 32 candidatos por não reunirem condições para o mesmo).

«Para a 3.ª fase, as instituições de ensino superior decidiram colocar a concurso 3303 vagas, às quais acresceram 604 vagas libertadas por candidatos colocados e matriculados em fase anterior que foram agora colocados na terceira fase, uma vaga adicional criada por desempates, 16 vagas adicionais criadas para candidatos sem classificação final e quatro vagas autónomas», informou o Ministério, acrescentando que sobraram 2284 vagas desta fase do concurso.

Em comunicado, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior esclarece que, ao todo, foram colocados 60672, ainda que este número não revele «efetivamente o número de estudantes admitidos nas instituições, dado que parte dos colocados não efetua a matrícula por diversos motivos, entre os quais avulta a sua colocação em ciclos de estudo que não corresponde às suas primeiras opções».

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Moçambique: FMI prevê elevado crescimento do crédito à economia

Moçambique: FMI prevê elevado crescimento do crédito à economia

O Fundo Monetário Internacional (FMI) estima um crescimento considerável do crédito à economia em 2023 para Moçambique.  Se isso se…
Angola: Governo entrega proposta do OGE 2023 até 15 de dezembro

Angola: Governo entrega proposta do OGE 2023 até 15 de dezembro

O Governo angolano assegurou nesta quinta-feira, 24 de novembro, que vai entregar a proposta do Orçamento Geral do Estado (OGE)…
Cabo Verde regista três casos da sub-linhagem da variante Ómicron “BQ.1.1”

Cabo Verde regista três casos da sub-linhagem da variante Ómicron “BQ.1.1”

Segundo a Ministra da Saúde de Cabo Verde, Filomena Gonçalves, desde o início de novembro houve um pequeno aumento dos…
Portugal reconhece qualificações académicas de 100 refugiados ucranianos

Portugal reconhece qualificações académicas de 100 refugiados ucranianos

A Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) de Portugal já reconheceu as qualificações académicas de cerca de 100 cidadãos ucranianos desde…