Nacional | Sociedade

Caso de jovem cabo-verdiano chegou às autoridades de Bragança como alcoolizado caído na rua

Luis Giovani Rodrigues, Facebook Caloiros CV

O caso do estudante cabo-verdiano que morreu no dia 31 de dezembro chegou às autoridades de Bragança como um possível alcoolizado caído na rua.

Só depois realizar o exame a Luís Gionavi Rodrigues de 21 anos , é que a equipa de emergência descobriu um ferimento na cabeça e “verificou que se tratava de um possível traumatismo craniano”, indicou o segundo comandante dos bombeiros de Bragança, Carlos Martins.

Segundo Carlos Martins, a possibilidade de o ferimento ter resultado de agressão foi levantada já depois de a vítima ter sido conduzida ao hospital de Bragança e transferida para outra unidade hospitalar, no Porto, onde morreu na madrugada de 31 de dezembro.

Recorde-se que Luís Giovani, que estudava no Instituto Politécnico de Bragança, foi agredido à porta de uma discoteca por um grupo de cerca de 15 pessoas no dia 21 de dezembro.

Depois de analisar a gravação das câmaras de vigilância da discoteca , os inspetores acreditam que os acontecimentos se deveram a um “motivo fútil”.

Entretanto, na página oficial do tWitter, o Governo português lamentou “profundamente a bárbara agressão de que resultou a morte, em Bragança, de um estudante cabo-verdiano”, garantindo que “Os responsáveis serão identificados e levados à justiça. Os cabo-verdianos são nossos irmãos e muito bem-vindos em Portugal.”

Reagindo ao incidente, o embaixador de Cabo Verde em Portugal, Eurico Monteiro, informou em comunicado que já pediu a clarificação “cabal” das circunstâncias da morte e  está a “acompanhar de perto as investigações e os seus desenvolvimentos”, com vista a “clarificar-se de forma cabal as circunstâncias da morte e determinar-se as eventuais responsabilidades”.

O Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, também anunciou que está a acompanhar, através da Embaixada em Lisboa, os contornos da “morte brutal” do estudante.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo