Economia | Nacional

Porto de Lisboa perdeu metade do peso com contribuição das greves

De acordo com os dados divulgados pela Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT), o Porto de Lisboa movimentou nos primeiros quatro meses deste ano 3,197 milhões de toneladas de mercadorias.

Este valor traduz uma quebra de cerca de 15,4% face ao período homólogo do ano passado e é explicado pelos efeitos da greve dos estivadores, que esteve em curso desde 20 Abril até 27 de Maio.

Se tivermos em conta os primeiros quatro meses de 2013 até ao presente ano, verifica-se que a quota de mercado de mercadorias movimentadas pelo porto de Lisboa tem vindo a descer desde 15,4% (2013) e 15,57% (2014) para 13,5% no ano passado e para 10,7% no presente ano.

Esta tendência verifica-se porque o porto da capital não conseguiu acompanhar o ritmo de crescimento da generalidade dos restantes portos nacionais, e não porque tenha registado um decréscimo de mercadorias movimentadas – cresceu de cerca de 25 milhões de toneladas movimentadas em 2013 para mais de 29 milhões de toneladas nos primeiros quatro meses deste ano.

Desde 2000, com um total de quase 56 milhões de toneladas de mercadorias movimentadas, o setor portuário nacional passou para um montante de cerca de 89,3 milhões de toneladas de mercadorias movimentadas no ano passado, o que representou um crescimento de 59,5% em termos globais no setor portuário nacional no período em análise.

Já o porto de Lisboa perdeu no crescimento do setor, estando praticamente imobilizado no mesmo patamar: passou de cerca de 11,6 milhões de toneladas movimentadas em 2000, para cerca de 11,6 milhões de toneladas no ano passado. Mesmo assim, ainda averbando um decréscimo de 0,8% no período em apreço.

O acordo de princípio encontrado a 27 de Maio estabeleceu como prazo-limite o dia 16 de Junho para se celebrar uma nova versão do contrato coletivo de trabalho entre o sindicato dos estivadores e os operadores portuários de Lisboa.

 

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo