Festas do Povo de Campo Maior elevadas a Património Cultural Imaterial da Humanidade

A Ministra da Cultura, Graça Fonseca, congratula-se com a inscrição das Festas do Povo de Campo Maior como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

Todos os portugueses, em particular os alentejanos, estão, uma vez mais, de parabéns por saberem manter viva uma das mais ricas tradições culturais portuguesas, justamente designadas Festas do Povo de Campo Maior.

Esta prestigiada distinção só foi possível devido à iniciativa da Associação das Festas do Povo de Campo Maior, que desenvolveu a sua candidatura em conjunto com o Município de Campo Maior e a Entidade Regional de Turismo do Alentejo, que contaram com o apoio da Direção Regional de Cultura do Alentejo.

Estas Festas, enquanto manifestação popular de uma comunidade viva, têm um contributo muito especial das mulheres de Campo Maior, que, todos os anos, trabalham de modo continuado nas suas flores em papel, passando esse testemunho às gerações mais novas e permitindo manter viva uma tradição em que todos os portugueses se reconhecem. As Festas, que “acontecem quando o povo quer”, não decoram apenas o centro histórico de Campo Maior com milhões de coloridas flores de papel, mas abrem a vila a todos os portugueses.

Assim, esta classificação, que muito honra todo o país, distingue culturalmente a região do Alentejo e projeta a cultura portuguesa, contribuindo de modo significativo para valorizar e salvaguardar este património que nos é comum.

As Festas do Povo de Campo Maior já estão inscritas no Inventário do Património Cultural Imaterial desde 2018 e, em 2019, o comité de peritos já tinha destacado a candidatura portuguesa como um exemplo de como uma pequena comunidade assumiu a responsabilidade pelo seu património cultural imaterial, numa abordagem que destaca os reflexos das mudanças sociais e económicas nas manifestações culturais atuais.

As Festas integram agora esta importante lista da UNESCO, da qual já fazem parte o Fado, o Cante Alentejano, a Louça de Bisalhães, os Chocalhos de Alcáçovas, os Bonecos de Estremoz e os Caretos de Podence.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Angola: Governo aprova plano de endividamento para 2022

Angola: Governo aprova plano de endividamento para 2022

A Comissão Económica do Conselho de Ministros de Angola aprovou nesta terça-feira, 25 de janeiro, o Plano Anual de Endividamento…
Brasil e China não renovam acordos que promovem as relações comerciais entre os dois países

Brasil e China não renovam acordos que promovem as relações comerciais entre os dois países

Com conversas que se arrastam desde 2019, os governos de Brasil e China não conseguiram renovar a tempo os dois…
Cabo Verde: PAICV acusa Armindo Luz de exploração ilegal de pedreira

Cabo Verde: PAICV acusa Armindo Luz de exploração ilegal de pedreira

A primeira secretária do setor do PAICV da Ribeira Grande, Maria Teresa da Cruz, disse que o deputado Armindo Luz,…
Timor-Leste: Governo analisa projetos do fundo das infraestruturas

Timor-Leste: Governo analisa projetos do fundo das infraestruturas

O Conselho de Ministros de Timor-Leste analisou nesta quarta-feira, 26 de janeiro, os resultados da gestão e execução dos projetos…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin