Grupo ambientalista ProTejo acusa Espanha de roubar água de Portugal

O Movimento ambientalista de Proteção do rio Tejo, ProTejo, denunciou que muita água do rio Tejo está a ser desviada para outros usos na Espanha.

Com 1.007 km, o Tejo é o maior rio de Portugal e o mais longo de toda a Península Ibérica. Começa em Fuente de Garcia, no oeste de Espanha, e finalmente chega à capital portuguesa, Lisboa.

A polémica está no fluxo da água quando chega a Portugal. O ProTejo alega que no ano passado a Espanha não cumpriu um acordo conhecido como Convenção de Albuferia, assinado entre Madrid e Lisboa em 1998.

“Nos primeiros meses do ano até julho, vimos fluxos baixos e muito irregulares, às vezes quase inexistentes. Em agosto e setembro, especialmente em setembro, o fluxo era apenas um terço do mínimo da Convenção de Albufeira”, disse o ProTejo.

A Agência Portuguesa do Meio Ambiente nega, afirmando que o fluxo foi atingido nos valores anuais, trimestrais e semanais. Mas o ProTejo insiste que a Espanha não cumpre o acordo, desviando grande parte da água para uso em barragens hidroeléctricas, o que afeta os ecossistemas e também tem um impacto social.

Paulo Constantino considera as explicações da APA infundamentadas e deixa duras críticas a este organismo: “Os dados usados pelo proTejo são do escoamento da barragem do Fratel do Sistema de Informação de Recursos Hídricos da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e do ministério do ambiente espanhol, portanto a afirmação da APA é falsa. O facto de reconhecerem que o volume de caudal está perto do limite mínimo, estarem ainda a validar o último trimestre e já assumirem o cumprimento de Espanha apenas demonstra a razão porque sonegam os dados de agosto e setembro, que devem estar a ajustar”, afirmou, em declarações ao jornal i.

Espanha sustenta que está a cumprir o estabelecido e aponta para o fato de que alguns afluentes do Tejo estão em áreas com um alerta severo de seca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Banco de Portugal fala de poucos oligarcas russos visados pelas sanções

Banco de Portugal fala de poucos oligarcas russos visados pelas sanções

O Banco de Portugal (BdP) instruiu os bancos para congelarem as contas de oligarcas russos, no âmbito das sanções aplicadas…
Moçambique: Deslocados autorizados a regressar a Mocímboa da Praia

Moçambique: Deslocados autorizados a regressar a Mocímboa da Praia

A Secretaria Distrital de Mocímboa da Praia, vila moçambicana da província de Cabo Delgado, informou as autoridades do distrito de Palma…
Guiné-Bissau satisfeita com a visita do primeiro-ministro português António Costa

Guiné-Bissau satisfeita com a visita do primeiro-ministro português António Costa

“A visita do primeiro-ministro [português] deixou os guineenses contentes. Portugal é um país irmão e não um amigo da Guiné-Bissau”,…
Ucrânia: Lviv não consegue acolher mais refugiados

Ucrânia: Lviv não consegue acolher mais refugiados

O presidente da Câmara de Lviv, Andriy Sadoviy, informou à “Reuters” que a cidade esgotou a sua capacidade para acolher…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin