José Andrade apresenta novo livro sobre migrações em Ponta Delgada

O livro Transatlântico II – Açorianidade & Interculturalidade, da autoria de José Andrade, é lançado na próxima semana em Ponta Delgada. A nova obra do atual Diretor Regional das Comunidades do Governo dos Açores, editada pela Letras Lavadas, é apresentada no decorrer de uma sessão que tem lugar quarta-feira, 17 de janeiro, às 18 horas, no auditório da Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada.

Trata-se de uma segunda compilação de textos sobre as migrações açorianas, que abre com três prefácios da autoria de Lélia Pereira Nunes, presidente da Academia Catarinense de Letras, no Brasil; Diniz Borges, diretor do Instituto Português de Além-Fronteiras da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos da América; e José Carlos Teixeira, professor catedrático da Universidade da Columbia Britânia, no Canadá.

Segundo o autor de Transatlântico II – Açorianidade & Interculturalidade, “a Região Autónoma dos Açores projeta Açorianidade nas Américas e acolhe Interculturalidade nas Ilhas”.

“Somos menos de 250 mil residentes nas nove ilhas do arquipélago português do Atlântico Norte, mas bem mais de dois milhões de açorianos e seus descendentes no Brasil, no Uruguai, nos Estados Unidos da América, no Canadá ou na Bermuda”, comentou José Andrade no texto da contracapa do livro.

Inversamente, acrescenta, “já somos destino emigratório de mais de cinco mil cidadãos estrangeiros provenientes de 97 países diferentes, que vêm compensar a erosão demográfica natural, colmatar a carência de mão de obra local, ajudar a desenvolver os Açores”.

Na senda de Transatlântico – As Migrações nos Açores, com textos de 2021 e 2022, este Transatlântico – Açorianidade & Interculturalidade, compilando informações e reflexões de 2023, “tanto celebra a identidade açoriana da Diáspora como a diversidade cultural da Região”.

Tudo isso a pretexto de efemérides açóricas como os 275 anos do povoamento açoriano do Sul do Brasil, os 260 anos da chegada dos açorianos ao Uruguai, os 145 anos da emigração açoriana para o Havai, os 100 anos do nascimento de Natália Correia, os 95 anos da Casa dos Açores em Lisboa, os 80 anos da vinda dos americanos para a Base das Lajes, os 70 anos da emigração oficial dos Açores para o Canadá, os 65 anos do Azorean Refugee Act ou os 25 anos da Direção Regional das Comunidades do Governo dos Açores.

A apresentação deste livro, a 17 de janeiro, ficará especialmente a cargo da nova presidente da AEA – Associação dos Emigrantes Açorianos, Andrea Moniz-DeSouza, e do novo presidente da AIPA – Associação dos Imigrantes nos Açores, Leoter Viegas, além de breves menagens dos três prefaciadores.

A diretora da Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada, Iva Matos, e o gerente da editora açoriana Letras Lavadas, Ernesto Resendes, vão abrir esta sessão que encerra com a apresentação da performance intercultural “Somos Todos Açores”, escrita por Liliana Cardoso, encenada por Eleonora Marino Duarte e protagonizada por Ana Cerqueira.

Este é já o 29º livro da autoria de José Andrade, cuja bibliografia inclui títulos como Transatlântico – As Migrações nos Açores (2023), com prefácio de José Manuel Bolieiro, A Vontade dos Açorianos – Os Órgãos de Governo Próprio da Região Autónoma dos Açores (1976-2020), com prefácios de João Bosco Mota Amaral e Carlos César, ou Açores no Mundo (2017), com prefácio de Marcelo Rebelo de Sousa.

José Andrade nasceu em Ponta Delgada, é licenciado em Ciências Sociais, na especialidade de Ciência Política, e integra o quadro de pessoal da RTP/Açores. Foi Adjunto do Subsecretário Regional da Comunicação Social, assessor de imprensa do Presidente do Governo, chefe de gabinete da presidência da Câmara Municipal de Ponta Delgada, Vereador da Cultura e Ação Social, Diretor-Geral da Sociedade Coliseu Micaelense e deputado à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores. Exerce as funções de Diretor Regional das Comunidades do XIII Governo dos Açores, desde dezembro de 2020 até fevereiro de 2024.

Ígor Lopes

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Ativistas não concordam que Angola deixe a lista de países autoritários

Ativistas não concordam que Angola deixe a lista de países autoritários

Angola deixou de fazer parte da lista de países autoritários do Índice de Democracia no Mundo em 2023, elaborado pela…
Moçambique: Corte da estrada que dá acesso à vila de Quissanga está a provocar carência de alimentos

Moçambique: Corte da estrada que dá acesso à vila de Quissanga está a provocar carência de alimentos

O transbordo do rio Montepuez e destruição de uma das pontes provocou o corte do acesso rodoviário à vila sede…
Moçambique: PR diz que União Africana apoia agenda do país

Moçambique: PR diz que União Africana apoia agenda do país

O Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, afirmou que a 37.ª Cimeira da União Africana deu uma nota positiva…
Carlos Gonçalves, candidato pelo círculo europeu pela Aliança Democrática

Carlos Gonçalves, candidato pelo círculo europeu pela Aliança Democrática

“Definir um grande Plano Estratégico para as Comunidades Portuguesas” Carlos Alberto Silva Gonçalves, tem 62 anos de idade e volta…