Nacional | Sociedade

Ministério Público abriu uma investigação à morte de Ruben de Carvalho

O Ministério Público abriu uma investigação às da morte do jornalista Ruben de Carvalho, histórico dirigente comunista, que terá entrado em coma na sequência de uma queda no Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

Citada pelo Observador, a Procuradoria-Geral da República confirmou a existência de “um inquérito dirigido pelo Ministério Público do DIAP de Lisboa”, sem arguidos constituídos.

Ruben de Carvalho, de 74 anos, deu entrada no hospital de Santa Maria, em Lisboa, com queixas na vesícula tendo dado uma queda enquanto estava internado e bateu com a cabeça, entrando em coma poucas horas depois e vindo a morrer após três semanas.

No dia 11 de junho o hospital de Santa Maria confirmou a morte de Ruben de Carvalho, avançando que foi provocada por “problemas de saúde que exigiram internamento hospitalar”.

No entanto, o funeral só decorreu neste domingo, cinco dias depois, porque as circunstâncias da morte exigiram a realização de uma autópsia.

Contatado pelo Observador para perceber se foi aberto um inquérito às circunstâncias da morte, o Hospital de Santa Maria o porta-voz deste centro hospitalar ainda não confirmou oficialmente a existência desse inquérito.

Também o Partido Comunista Português se recusou até ao momento a fazer qualquer comentário sobre a situação, assim como a viúva também preferiu não comentar o sucedido.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo