ONG’s portuguesas consideram gestão do Ministério do Ambiente “muito negativa”

A Coligação C6, coligação portuguesa de Organizações Não Governamentais de Ambiente formada pelo GEOTA, FAPAS, LPN, Quercus, SPEA e WWF em Portugal, divulgou esta quinta-feira em comunicado, a avaliação feita à política de conservação da natureza por parte do Ministério do Ambiente de Portugal. A nota é de forma geral negativa.

Estas organizações consideram ser “muito negativa a gestão que o Ministro faz da política de conservação da natureza”, e defendem que se baseia “em ideias preconcebidas e em clara descriminação negativa da opinião, experiência e ponderação das organizações”.

Para ilustrar essa “má gestão” as organizações que compõem a C6 dão alguns exemplos de situações que expuseram mas foram ignoradas pelo Governo. Entre elas destacam-se a continuação do Plano Nacional de Barragens; os contratos de exploração de hidrocarbonetos na Costa Alentejana; a suspensão da caça à rola-brava; a nova lei para o lobo-ibérico que, considera a C6, é um retrocesso na conservação e proteção da espécie; a construção do aeroporto do Montijo, local de impacto significativo sobre as aves e a natureza; e a recente retirada da queixa à Comissão Europeia referente à central de resíduos nucleares de Almaraz.

Por outro lado, destacam como positiva a Estratégia Nacional para a Educação Ambiental, o fim dos contratos de prospeção e exploração de petróleo no Algarve e a desaprovação do Parque Eólico da Torre de Moncorvo, que ameaçaria seriamente as aves planadoras daquela região.

A C6 foi criada em 2015, com o objetivo de atuar junto da sociedade civil e das instituições públicas e governamentais na defesa, proteção e valorização da natureza e da biodiversidade em Portugal.

Para 2017, a C6 revela ainda que vai organizar uma campanha de sensibilização e mobilização da opinião pública em defesa da natureza em Portugal, marcada para novembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Angola mantém aposta na diplomacia económica

Angola mantém aposta na diplomacia económica

O ministro das Relações Exteriores de Angola, Téte António, reiterou a aposta do Governo na promoção da diplomacia económica. O…
Investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra ganha pela segunda vez concurso ERC

Investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra ganha pela segunda vez concurso ERC

A Investigadora Principal do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (CES-UC), Ana Cristina Santos, acaba de ganhar um…
Cabo Verde: PR propõe fundos para autonomia dos municípios

Cabo Verde: PR propõe fundos para autonomia dos municípios

O Presidente da República de Cabo Verde, José Maria Neves, propõe a criação de um Fundo de Desenvolvimento Local e…
Timor-Leste: Representante da CPLP apela à participação nas presidenciais

Timor-Leste: Representante da CPLP apela à participação nas presidenciais

O chefe da missão de observação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) às eleições presidenciais em Timor-Leste, o…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin