Nacional | Sociedade

Portal da Queixa assina protocolo com a Câmara Municipal de Lisboa

O Portal da Queixa e a Câmara Municipal de Lisboa (CML) estabeleceram um protocolo de colaboração no âmbito do projeto de Responsabilidade Social Empresarial (RSE), com o objectivo de melhorar a performance da autarquia de Lisboa na gestão de reclamações e comunicação com os seus munícipes. Além disso, o protocolo prevê possibilitar aos organismos estatais o acesso gratuito a um conjunto de serviços e condições especiais através da plataforma do Portal da Queixa.

Pedro Lourenço, CEO do Portal da Queixa, realça que o intuito da parceria “é gerar maior celeridade na comunicação entre autarquia e cidadãos, proporcionando uma comunicação efetiva entre os que nos procuram para reportar um problema e os que nos procuram para dar solução ao mesmo.”

O fundador do Portal da Queixa explica o que moveu a maior rede social de consumidores a implementar o projeto de RSE e a contribuir para uma sociedade mais justa e equilibrada.

“O Portal da Queixa, como rede social de consumidores, entende ter o dever cívico de contribuir através do seu alcance junto de um universo muito alargado de utilizadores, para a digitalização da sociedade, no sentido de a capacitar tecnologicamente e torná-la competitiva face a outros países na Europa e resto do mundo.  Por isso, procuramos criar condições favoráveis para potenciar melhorias contínuas, na relação entre os organismos públicos e os cidadãos, nomeadamente no tratamento e solução de problemas que são apresentados diariamente através da nossa plataforma – Portal da Queixa. Portanto, para que a comunicação seja eficaz e que resulte no sucesso da satisfação dos cidadãos face aos serviços prestados, avançamos com a criação do projeto de responsabilidade social do Portal da Queixa, que visa dotar os organismos públicos, com acesso a ferramentas de gestão de reclamações e comunicação, com vista à melhoria na sua capacidade de resposta e solução das insatisfações apresentadas, sem incrementar custos no erário público. Não existindo uma relação comercial na génese da reclamação entre o cidadão e o estado, entendemos não estar de acordo com as nossas convicções a cobrança de um custo de utilização de ferramentas premium, na nossa plataforma myPQ (back-office de gestão de reclamações no Portal da Queixa) a organismos e instituições públicas do Estado, daí decidirmos que seria a nossa responsabilidade em contribuirmos, desta forma, para uma sociedade mais justa e equilibrada.”

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo