capa da Revista de Imprensa Lusófona

Revista de Imprensa Lusófona de 04 de Outubro de 2018

“Governo lança novo plano para apoiar portugueses na Venezuela” tem em manchete esta quinta-feira o “Público” em Portugal. “Programa de ajuda humanitária foi negociado com as autoridades de Caracas. Serão enviados medicamentos e alimentos e prestado apoio médico. Portugal tem quatro milhões para apoiar quem regressou”, escreve o mesmo jornal.

Em Angola foi “Detido homem que matou 9 mulheres em Luanda” destaca o jornal “O País” que refere que o suspeito “está a ser acusado de ter violado sexualmente e, posteriormente, matado nove mulheres, no bairro Catinton, distrito urbano de Maianga, município de Luanda”. O mesmo jornal informa que “Fitch antecipa ‘recuperação notável’ da economia angolana”.

“Dez indiciados pela morte de Amurane” dá conta “O País” em Moçambique. “SERNIC anunciou ontem (03 outubro) a instrução de 10 processos em conexão com o crime. Mahamudo Amurane foi assassinado há exactamente um ano na cidade de Nampula”.

Na recta final da campanha eleitoral no Brasil, a “Folha de S. Paulo” informa que “Presidenciáveis buscam convencer eleitorado na véspera do último debate antes do primeiro turno”. Jair Bolsonaro que lidera as sondagens não teve o “aval dos médicos” para estar presente no debate, refere a “Folha”.

O Procurador-Geral da República na Guiné-Bissau, Bacar Biai, revelou esta quarta-feira, 03 de Outubro 2018, que tem-se registado no Ministério Público uma “fraca produtividade dos magistrados”, devido a “morosidade processual” informa o jornal “O Democrata”.

Em Cabo Verde “PR [Presidente da República] acha “elevada a carga fiscal” em Cabo Verde e defende medidas fiscais diferenciadas para algumas ilhas” avança a agência cabo-verdiana de notícias Inforpress. “Eu penso que a carga fiscal em Cabo Verde é elevada. Partindo da ideia de que tudo pode ser reavaliado, não creio que seja uma invenção se poder pensar que as medidas fiscais podem ser diferenciadas em função do desenvolvimento, das necessidades e das especificidades das ilhas”, avançou Jorge Carlos Fonseca citado pela Inforpress.

O portal de notícias “Téla Nón” em São Tomé e Príncipe informa que a “Coligação MDFM-PCD-UDD, definiu a sua estratégia de actuação na campanha eleitoral, tendo como alvo conquistar o maior número do eleitorado, da chamada família da mudança. Os três partidos políticos que  concorrem às eleições legislativas e locais em coligação, pertencem a mesma família política do partido no poder a ADI”.

A página web institucional da Guiné Equatorial dá conta que a 03 de Outubro o presidente Obiang Nguema recebeu uma delegação da Unesco chefiada pelo representante na Guiné Equatorial, Camarões, Angola, Burundi, Republica Centro-africana, Chade, Santo Tomé e Príncipe, Salah Khaled.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Angola: Moco diz que MPLA receia enfrentar Costa Júnior

Angola: Moco diz que MPLA receia enfrentar Costa Júnior

O ex-primeiro-ministro angolano e militante do MPLA, Marcolino Moco, afirmou que o partido no poder, tal como o líder João…
Moçambique quer fortalecer cooperação com STP na Educação

Moçambique quer fortalecer cooperação com STP na Educação

A Embaixadora de Moçambique em São Tomé e Príncipe, Osvalda Joana, partilhou a vontade do país que representa em reforçar…
Cabo Verde: PAICV quer vencer as seis câmaras municipais de Santiago Norte em 2024

Cabo Verde: PAICV quer vencer as seis câmaras municipais de Santiago Norte em 2024

A presidente da Comissão Política Regional do PAICV em Santiago Norte, Carla Carvalho, afirmou que o “grande desafio” do mandato…
Portugal pondera aumentar número de turmas para crianças ucranianas

Portugal pondera aumentar número de turmas para crianças ucranianas

O ministro da Educação em Portugal, Tiago Brandão Rodrigues, reafirmou nesta sexta-feira, 11 de março, que as escolas portuguesas estão preparadas…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin